Muita coisa muda quando chegamos na terceira idade… O corpo se transforma, a experiência aumenta, e os hábitos, muitas vezes, já não são mais os mesmos. Nessa fase, alguns cuidados maiores com a saúde passam a ser necessários. Isso também vale para a sua saúde bucal. As consultas ao odontogeriatra devem começar aos 60 anos, para que esse profissional oriente sobre as precauções necessárias e previna contra possíveis problemas. Com tantos fatores mudando nessa etapa da vida, será que a higiene bucal também precisa ser alterada? O dentista Cláudio de Sá Rêgo Fortes responde essa dúvida.

Como deve ser a higiene bucal nessa fase?

“A higiene bucal na terceira idade deve ser feita com escova e fio dental, normalmente”, afirma ele. Para isso, é preciso escolher a escova dental ideal para os seus dentes, com cabeça arredondada e cerdas macias, e um bom creme dental com flúor. Na hora da escovação, a boca pode ser dividida em quatro partes, e cada uma delas deve ser limpa por aproximadamente 30 segundos, com movimentos de vai e vem. Não se esqueça de usar também o fio dental! Ele deve ser passado diariamente, para evitar o acúmulo de placa bacteriana, que pode resultar em diversos problemas bucais se não for removido.

Para quem usa prótese: é fundamental realizar a limpeza adequada

Existe um fator, no entanto, que pode alterar a forma como é feita a higiene bucal na melhor idade. “O que muda é quando o paciente usa alguma prótese, o que é comum nesta etapa da vida”, explica Cláudio. Esse acessório tem a função de repor a estrutura dentária do paciente, recuperando seu sorriso. Mas é bom lembrar que nem todo mundo que atinge essa idade precisa usar prótese! Para os que utilizam, alguns cuidados específicos precisam ser tomados. “A higiene da prótese deve ser feita com ela fora da boca. Existem no mercado opções de materiais que ajudam, mas ela pode ser feita com a pasta de dente comum também”, esclarece ele.

O enxaguante bucal pode se tornar um grande aliado

Com a idade aumentando, em alguns casos a habilidade motora pode ficar um pouco prejudicada. Segundo o profissional, devemos levar em conta essa diminuição da destreza manual com o tempo. “Isso leva a dificuldade na higienização”, diz ele. Nos casos em que o idoso está acamado por algum motivo, ou que apresenta problemas periodontais recorrentes, como a gengivite e a perda óssea, é indicado o uso do enxaguante bucal para complementar a limpeza da boca. Outro item que pode ajudar nessa fase é a escova de dentes elétrica. Ela precisa de menos esforço para ser manuseada, uma vez que já realiza a maior parte dos movimentos. Além disso, com seu uso, o processo se torna mais rápido, sem deixar de ser igualmente eficiente.