Olhar para o espelho e notar uma feridinha na boca pode ser um sinal de alerta. Se essa lesão estiver ali por muito tempo, causando coceira, ardência e tiver bolinhas, bem provável que você esteja com herpes labial. Embora seja um problema que preocupa muita gente, esse vírus tem tratamento e pode ser evitado. Basta tomar todos os cuidados e seguir uma rotina de higiene para prevenir futuras crises. O Sorrisologia explicou tudo sobre o herpes bucal e como lidar com essa doença.   

O que é herpes?

O vírus da herpes pode aparecer em qualquer lugar do corpo que ocorrer contágio. Existem dois tipos de HSV:

Tipo 1: que frequentemente se associa as lesões orais;

Tipo 2: que é responsável por 80 a 90% das lesões genitais.

O que é o herpes labial?

O herpes labial é uma infecção que pode se manifestar tanto nos lábios, boca ou gengiva. Essa doença pode causar pequenas bolhas, que, além de causarem uma ferida, também são bem dolorosas e incômodas.

Sintomas do herpes labial

- Formação de pequenas bolhas;

- Coceira;

- Ardência;

- Depois as bolhas estouram e forma-se uma ferida.

O problema dura em torno de uma a duas semanas, mas é importante tratá-lo assim que ele começa a dar os primeiros sinais, pois a falta do tratamento adequado facilita a invasão de bactérias presentes na pele. 

Quais são as causas do herpes labial?

- Ter contato com outros objetos;

- Beijar uma pessoa infectada;

- Compartilhar a escova de dentes;

- Usar a mesma toalha de banho e de rosto de outra pessoa.

Como acontece o contágio do herpes?

A contaminação ocorre pelo contato direto do local lesionado com a pele ou a saliva da pessoa que não possui a doença. A primeira infecção pode não causar os primeiros sintomas, como bolhas e dor, mas isso pode variar com o tempo. É preciso ficar atento!

Herpes infantil: entenda como isso acontece

Assim como os adultos, as crianças também podem pegar herpes. A principal maneira de contágio acontece através dos adultos. Isso ocorre pelo fato de mais de 70% das pessoas de maior idade serem portadores do herpes labial. Além disso, os pequenos normalmente são infectados pelo contato com a própria mãe, nos casos em que ela é portadora do herpes labial, e através do beijo. 

3 dúvidas sobre herpes bucal

1. Quem tem herpes pode beijar na boca?

Claro que pode! Porém, o beijo só pode acontecer fora do período de crise. Quando uma pessoa infectada beija outra durante o episódio de infecção, a transmissão torna-se possível. Então se isso aconteceu justo no dia do seu encontro, infelizmente, é melhor adiar. Recupere sua saúde para, então, poder beijar sem a menor culpa.

2. Uma pessoa com herpes pode ir à praia?

Sim, mas é preciso usar o filtro solar para prevenir a piora do quadro. Existem formas de uma pessoa com herpes aproveitar o sol sem se preocupar com possíveis lesões. Entre os cuidados: evitar a exposição ao sol, ter uma boa alimentação e usar um creme cicatrizante de acordo com a orientação do dermatologista.

3. "Tenho herpes bucal, posso compartilhar meus objetos pessoais?"

Verdade. O herpes é muito contagioso. A pessoa pode pegar não só beijando um portador, mas tendo contato com alguns utensílios usados pela pessoa. O contágio pode ser feito de forma direta (contato íntimo), ou por meio de objetos como toalhas e louças.

8 dicas para evitar crises de herpes

O herpes é um vírus altamente contagioso e, na maioria do tempo, fica em estado latente. No entanto, para que as lesões não se manifestem, é importante tomar alguns cuidados para evitar as crises. Entre eles:

1. Evitar traumas na região;

2. Exposição excessiva ao sol;

3. Momentos de muito estresse;

4. Falta de descanso;

5. Exposição ao frio e ao vento forte;

6. Uso de medicamentos;

7. Aplicação de filtros solares;

8. Procedimento de laserterapia de baixa potência, que traz excelentes resultados.

Herpes bucal tem cura?

Não existe cura para herpes. Depois do contágio ele fica latente nos nervos, como se estivessem dormindo, e assim nosso sistema de defesa não o reconhece como um intruso. Quando as crises vem à tona, significa que o vírus "acordou" e começa a se multiplicar novamente. É um ciclo sem fim que precisa de controle e tratamento.

Como tratar o vírus do herpes e evitar a proliferação da doença

A herpes não tem cura, mas a melhor forma de controlá-la é seguindo um tratamento recomendado. A terapia deve ser iniciada antes que comecem os primeiros sintomas, assim, o surto deverá ser de menor intensidade e duração. Além disso, também é importante tomar alguns cuidados para evitar que outras pessoas peguem a doença. Alguns deles são:

- Evitar ficar muito próximo de outras pessoas;

- Não beijar na boca durante o surto do herpes;

- Lavar as mãos após cuidar do local afetado;

- Ingerir alimentos industrializados;

- Tenha cuidados aos locais de higiene. Uma infecção secundária por bactéria pode acabar piorando o quadro.