Pular para o conteúdo principal
Logo Facebook Powered By Logo OralB
19.11.2018

Herpes labial na infância pode resultar de um sistema imunológico enfraquecido

Expert

Vânia Côrtes

Vânia Côrtes

CRO PR 14.282

Graduada em Odontologia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná 2002; Especialista em Odontopediatria pela Universidade Federal do Paraná 2004; Habilitada para Sedação com Óxido Nitroso e Oxigênio – Universidade Positivo; Palestrante no Curso de Amamentação da Sociedade de Mulheres Médicas do Paraná; Atua em consultório particular desde 2002.

Uma criança com febre pode significar diversas coisas, inclusive, herpes labial. Isso mesmo! Bolhas dolorosas que se formam ao redor do lábios, o herpes é uma doença que também atinge crianças e que, por ser crônica, uma vez contraída não há cura, apenas tratamento para alívio dos sintomas e cicatrização das lesões. Para os pequenos, o cuidado com a infecção deve ser ainda maior, já que o sistema imunológico deles ainda não foi completamente desenvolvido. Por isso, será que essa infecção pode resultar em problemas futuros, já quando o paciente estiver adulto? A odontopediatra Vânia Côrtes explica.

O contágio do herpes labial em crianças

De acordo com Vânia, a criança contrai o herpes labial pelo contágio direto das lesões, na fase ativa, da pessoa contaminada com o vírus. O maior agente propagador do herpes é exatamente o adulto. Isso acontece porque mais de 70% das pessoas nessa fase tem o vírus instalado no organismo, ainda que não esteja se manifestando.

Geralmente, esse contágio acontece com o beijo. Sim, mamães, muito cuidado com o beijo! Ele deve ficar suspenso enquanto a infecção estiver ativa. Assim que as bolinhas sumirem, o carinho é permitido. Além disso, o contato indireto também acontece por copos, canudos, toalhas e qualquer objeto compartilhado.

Os riscos do herpes labial durante a infância

Nos pequenos, a febre pode começar antes mesmo do aparecimento das bolinhas e deve ser prontamente cuidada, já que as defesas imunológicas das crianças ainda são básicas e não 100% desenvolvidas. Um outro risco é a possibilidade de contrair herpes em outros locais do corpo. Quando as bolinhas estouram, elas liberam um líquido altamente infeccioso. O contato desse líquido com qualquer parte do corpo pode resultar em contaminação.

“A pessoa que foi contaminada, pode ficar com o vírus latente e não necessariamente manifestar a doença, mas num quadro onde a imunidade está baixa, a doença normalmente se manifesta”, responde Vânia. Portanto, o único problema futuro é a herpes em si, que deve ser administrada quando for ativada. Por ser crônica, não existe nenhuma forma de curá-la totalmente, mas existem sim remédios e pomadas que agilizam o tratamento.

Herpes labial como tratar?

“Se a manifestação da doença é recorrente, deve ser feito um tratamento via oral com o remédio Aciclovir. Além disso, pomadas também são usadas diretamente nas lesões”, alerta a odontopediatra. Também deve-se fazer um acompanhamento diferenciado com os pequenos. “Converse com o pediatra da criança para investigar a imunidade dela”, finaliza. Não se esqueça de também manter os cuidados com a higiene bucal.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Vânia Côrtes - Especialista em Odontopediatria
Curitiba - PR
CRO PR 14.282

Mais Matérias: Herpes Labial
Herpes bucal x ansiedade: entenda como esses dois estão interligados e como prevenir a manifestação da doença
Herpes Labial
Herpes bucal x ansiedade: entenda como esses dois estão interligados e como prevenir a...
Você sabia que a ansiedade pode ser a causa de alguns problemas bucais? Entre eles, está a herpes ....
com a participação de:
Daniel Cohen Goldemberg
CRO-RJ: 29267
Herpes labial: o que é? Como surge? Quais são os sintomas? Qual é o melhor tratamento? Saiba tudo sobre o assunto
Herpes Labial
Herpes labial: o que é? Como surge? Quais são os sintomas? Qual é o melhor tratamento?...
Você desconfia que está com herpes labial? Olhar para o espelho e notar uma feridinha na boca pode...
com a participação de:
Dulce Helena Cabelho Passarelli
CRO-SP: 35856
Início do herpes na boca: veja como identificar os primeiros sintomas
Herpes Labial
Início do herpes na boca: veja como identificar os primeiros sintomas
Você já teve herpes na boca? Essa doença é muito conhecida por seu poder de...
com a participação de:
Dulce Helena Cabelho Passarelli
CRO-SP: 35856
Gengivite estomatite herpética: conheça o quadro e saiba os riscos durante a infância
Herpes Labial
Gengivite estomatite herpética: conheça o quadro e saiba os riscos durante a infância
Os papais e as mamães de plantão sabem como deve ser o cuidado para que os pequenos não...
com a participação de:
Vânia Côrtes
CRO PR 14.282
Herpes labial e intolerância a glúten: entenda a relação
Herpes Labial
Herpes labial e intolerância a glúten: entenda a relação
Você já deve ter lido em algumas embalagens de comidas a seguinte frase: contém glúten. O...
com a participação de:
Ludimila de Gouvêa Cerqueira e Ferreira
Higiene bucal na prevenção do herpes labial. Veja a sua importância e os principais cuidados para evitar as lesões
Herpes Labial
Higiene bucal na prevenção do herpes labial. Veja a sua importância e os principais...
O herpes é uma doença que atinge diversos pacientes em diferentes idade. “É uma...
com a participação de:
Liana França Araújo
CRO RJ 19174