Mesmo que tenhamos diversos cuidados com a nossa higiene na hora de escovar os dentes, ainda assim são muitas  as complicações que podem afetar o interior e exterior da nossa cavidade bucal. Um grande vilão que não necessariamente tem relação com seus hábitos de higiene bucal é o herpes labial, pois seu aparecimento está relacionado à baixa imunidade do organismo. Para as gestantes esse quadro pode ser bem comum. Mas quais são os riscos para a mãe e para o bebê? Conversamos com a dentista Tamara Leite que esclarece as principais dúvidas e indica quais são os cuidados para garantir uma gestação sem riscos.

O que é o herpes labial?

O herpes labial é caracterizado como uma doença infecciosa causada pelo vírus do herpes simples. O pacientes que estão contaminados por esse vírus apresentam feridas dolorosas nos lábios, porém, essa infecção também pode acometer outras partes da cavidade bucal como a gengiva, faringe, céu da boca, língua, interior da boca e das bochechas, e pode até mesmo acabar se espalhando pela face e  pelo o pescoço desse paciente. “Geralmente essas feridas estão predispostas em pequenas bolhas dolorosas que podem durar nos pacientes por volta de sete até dez dias", completa a profissional.

Pacientes gestantes são mais prováveis a apresentar herpes labial

A profissional afirma que pacientes que estão em período de gestação são mais propensas ao surgimento do herpes. “Isso acontece porque essas mulheres já apresentam uma baixa imunidade, fator que é essencial para a ativação do vírus e para o aparecimento das feridas”, explica Tamara. É importante que a gestante esteja atenta à sua saúde para evitar o aparecimento de doenças que se manifestam com a baixa imunidade como o herpes labial. Se isso acontecer, o recomendado é que ela procure um médico especializado na área para avaliar seu quadro.

Existe cura para o herpes labial ?

Infelizmente não existe uma cura para o vírus do herpes. Como é uma doença “oportunista”, o vírus apenas permanece “adormecido” no corpo até encontrar alguma brecha para se manifestar, como a baixa imunidade, por exemplo. “Esse é o principal motivo dessa doença, se manifestar principalmente em gestantes e é considerado pelos profissionais da área com um quadro bastante comum”, completa Tamara.

Os riscos do herpes em gestantes

Se a grávida em questão estiver contaminada com o vírus e a doença se desenvolver, não há nenhum risco para gestante, nem para o desenvolvimento do bebê. Porém a dentista faz um único alerta para a situação: “O problema dessa doença na gravidez seria para a mãe após o parto. Se ela apresentar alguma ferida do herpes, ela precisará tomar alguns cuidados. "Evitar beijar o bebê para não transmitir o vírus e ter atenção no momento em que realizar a sua higiene bucal são alguns deles", indica

Quais são os tratamentos?

No entanto, o herpes tem controle. Existem pomadas e medicamentos antivirais no mercado que são indicados e seguros  para serem utilizados na gravidez. Porém, é sempre necessário o acompanhamento do obstetra para avaliar a necessidade da medicação. “Uma outra opção seriam os produtos naturais, como o extrato de própolis, que tem efeito anti-inflamatório, ajuda na cicatrização das feridas e na redução dos sintomas dolorosos”, finaliza a profissional. 

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Tamara Vilela de Pinho Leite - Odontopediatra e Ortodontista
São Paulo - SP
CRO-SP 121980