Ter problemas com herpes labial é muito comum. Aproximadamente dois terços da população mundial possuem o vírus, de acordo com a OMS, Organização Mundial de Saúde. O herpes é transmitido pelo contato direto, o que facilita o aumento do número de casos. No entanto, não são todos os portadores do vírus que chegam a desenvolver ou ter qualquer sintoma. Pensando nisso, como é possível diagnosticar esses pacientes? O dermatologista Dr. Caio Lamunier trouxe mais explicações sobre essa questão.

Como é feito o diagnóstico de herpes labial?

A manifestação do herpes labial já é bem conhecida. Essa erupção da pele pode ser vista em pacientes das mais diferentes idades. No entanto, na maioria dos casos, o contágio aconteceu ainda durante a infância. De acordo com o médico, para obter um diagnóstico preciso do quadro é necessário um exame médico. “Mas há exames como o citodiagnóstico e a biópsia da pele que auxiliam no diagnóstico”, completa Caio. Pensando nisso, fique atento aos sintomas e possível contágio do vírus.

É possível diagnosticar a doença em paciente que nunca manifestaram?

O médico afirma que o diagnóstico desses casos é possível sim, porém, não é uma prática comum. “Há exames de laboratório que identificam se as pessoa já entrou em contato com o vírus e se ele está ou não ativo”, comenta ele. Entretanto, vale ressaltar que nem todos os pacientes que já estiveram em contato com o herpes acabam contraindo-o. O mesmo vale para alguns pacientes que possuem o vírus do herpes labial, mas que nunca manifestaram qualquer sintoma. “Nesse caso, é difícil diagnosticar que esse paciente têm o vírus”, completa o profissional.

A manifestação do herpes labial

Após a contração do vírus herpes, o paciente viverá o resto da sua vida com ele, pois não existe uma cura. A manifestação tem início com a infecção nas fibras nervosas e pode estar muito relacionada com períodos de queda da imunidade. Assim, os primeiros sintomas mais comuns são dor, coceira ou ardor na região em que aparecerá o herpes. “Depois a pele da região acometida fica levemente vermelha e podem surgir bolhas pequenas (vesículas)”, explica o dermatologista.

Posteriormente, essas erupções estouram e resultam em feridas, que vão cicatrizar. Diversas pessoas são portadoras da herpes labial. No entanto, são poucas as que apresentam manifestações clínicas. Pensando isso, nos casos de pacientes que possuem o vírus, mas nunca chegaram a manifestar a doença, o médico explica que não irão apresentar problemas.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Dr. Caio Lamunier - Dermatologista
São Paulo - SP
CRM-SP 124907