Se por um lado beijar é tudo de bom, por outro lado pode apresentar alguns riscos para a saúde bucal, já que durante o ato milhões de bactérias são trocadas entre um casal. "Existem muitas doenças que podem ser transmitidas pelo beijo como mononucleose, citomegalovírus, herpes simples, cárie, e doenças periodontais", conta o periodontista Filipe Furquim. Mas como ninguém quer deixar de beijar, venha ficar por dentro de todas as possíveis contaminações e aprenda a se cuidar.

Mononucleose

Ela é conhecida como a doença do beijo. A mononucleose costuma acometer os adolescentes quando iniciam a vida sexual como explica Furquim. "Os sintomas típicos da mononucleose incluem febre, enfartamento dos gânglios, que são uns carocinhos que podem surgir na região do pescoço e das axilas, mal-estar entre outros sintomas".

Citomegalovírus

O nome até assusta, né? O citomegalovírus é da mesma família do herpesvírus, da catapora, herpes simples, etc. "Os sintomas variam de uma pessoa para outra e vão desde um discreto mal-estar e febre baixa até doenças graves como úlceras gástricas e hepáticas, sistema nervoso central e retina", conta. Uma das formas mais comuns de se transmitir ou de se infectar é através do beijo. Por isso, também ocorre muito entre os jovens e adolescentes.

Herpes

Essa é uma vilã bem comum. A doença se pega através do contato direto com a ferida da herpes de outra pessoa, seja no contato íntimo, uso dos mesmos objetos como os talheres, pela roupa e, também, pelo beijo. Por isso, quando o herpes labial surge, os beijos devem ser adiados até que as lesões sarem. "Ela é altamente contagiosa nos lábios ou nas gengivas causada pelo vírus da herpes simples. Sua principal característica são pequenas bolhas doloridas". Furquim explica ainda que o vírus da herpes nunca mais abandona o seu hospedeiro ficando latente quando há uma baixa imunidade.

Hepatite A

As hepatites são inflamações no fígado causadas por processos infecciosos e que se não forem tratadas podem causar danos ao funcionamento deste órgão. O contágio se dá, dentre outras formas, pela saliva e o beijo. "Uma minoria apresenta os sintomas clássicos da infecção: febre, dores musculares, cansaço, mal-estar, falta de apetite, náuseas e vômito. Além disso, é comum notar a cor da pele meio amarelada, as fezes amarelo-esbranquiçadas e urina com cor escura".

Cárie

A grande inimiga bucal também entra nessa lista. A bactéria é encontrada na placa dentária da pessoa infectada podendo ser transmitida através do beijo. Porém, estudos indicam que só é possível a transmissão de adulto para criança. "Se a mãe tem o costume de beijar na boca do filho, por exemplo, a bactéria é passada pela saliva e se fixa na boca do bebê após o nascimento dos primeiros dentes", explica o profissional. A transmissão entre adultos, entretanto, é praticamente impossível, pois já se adquiriu toda a imunidade bucal desde que os dentes se irromperam.

Doenças periodontais

"Assim como a cárie, a gengivite também é um infecção transmissível, que se dá por meio da saliva ou pelo sangramento das gengivas", orienta. Se for tratada tardiamente, pode acorrer inflamação nos ossos dos dentes, dando início a uma doença periodontal.

Pratique uma boa saúde

Assim como tudo na vida, o beijo também deve ser praticado com responsabilidade. A saúde de quem beija e é beijado precisa estar em dia. O profissional explica que não há como evitar a transmissão dessas doenças, afinal, ninguém quer deixar de beijar, não é? "Devemos estar atento com nossa saúde, uma boa imunidade ajuda muito a se defender dessas infecções. Nossa saliva também ajuda a nos proteger. E se desenvolver qualquer doença, pare o beijo e procure um profissional o quanto antes".

Limpeza bucal todos os dias

Dados mostram que 20% das bactérias em nossa boca estão localizadas na língua. Por isso, é importante escová-la também. Uma escova dental que tenha cinco ações de limpeza fica mais fácil. Ela possui cerdas que limpam os espaços entre os dentes e as áreas difíceis de serem alcançadas, cerdas centrais que também removem aquelas manchinhas superficiais, estimuladores de gengivas que esteriliza e massageia nossas amigas rosadas e o limpador de língua e bochechas para você ter um hálito mais suave e refrescante. Todas essas medidas deixam sua boca mais saudável sem lhe tirar o prazer de um beijo.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Filipe Furquim - Pós Graduado em Cirurgia Gengival e Prótese
Rio de Janeiro - RJ
CRO-RJ: 29918