Tudo começou com uma pequena coceira nos lábios. Depois, não demorou muito para surgir as primeiras lesões. Bastou uma consulta com o dermatologista para confirmar o problema: herpes bucal. Uma doença muito comum que atinge pessoas de todas as idades e pode ser transmitida em qualquer momento da vida, desde o nascimento até a fase adulta com o compartilhamento de certos objetos. O vírus pode atingir estados de crise e latência e para manter o controle da situação sempre tem o tratamento, entretanto, será que além da terapia existe cura para esse tipo de herpes? A profissional Sylvia Cysneiros revela.

Existe cura para o problema?

A medicina vem avançando bastante nos últimos tempos, mas apesar das grandes pesquisas ainda não existe cura para algumas doenças, e o herpes simples é uma delas. “Mesmo após o tratamento correto, o vírus não é eliminado do corpo humano, permanecendo nele em estado de latência”, explica a dermatologista. Desta forma, o paciente fica sem produzir nenhum sinal ou sintoma até que ocorra a próxima alteração. Os motivos mais comuns para que isso aconteça é o estresse, baixa imunidade, exposição prolongada ao sol e algum trauma sofrido na região dos lábios.

Muita gente tem herpes e não sabe

Conviver com o problema e não saber que o tem é bem comum com os portadores do herpes. Sylvia afirma que, aproximadamente, 85% dos adultos são positivos para o vírus simples, pois já entraram em contato com o organismo em algum momento da vida, mesmo sem manifestar lesões da doença. “Após este primeiro contato, ele permanece em latência no corpo humano por toda a vida e pode voltar a causar sintomas caso haja reativação do mesmo”, relata.

Cuidados simples podem evitar as lesões

É possível manter o vírus no estado de latência com atitudes bem simples. A especialista indica evitar exposição a temperaturas extremas, tanto frio quanto calor e prestar atenção nos primeiros sinais do problema que costumam surgir antes das feridas, como ardência e formigamento. “Se o tratamento for iniciado ainda nesta fase há chances de não chegar a desenvolver as lesões”, garante. Além disso, é bom não abusar dos alimentos ricos em aminoácido arginina, pois podem fortalecer o vírus. São eles: chocolate, amendoim, nozes, castanha de caju, e aveia.

Há formas de se prevenir do herpes

Em alguns casos, o herpes bucal pode ser evitado. Por isso, é importante praticar alguns cuidados diários para não contraí-lo. O vírus pode estar nos lugares mais inofensivos possíveis, como em uma toalha, talheres, maquiagem e até mesmo na escova de dente. Não compartilhe estes objetos com ninguém. Às vezes, até mesmo aquela pessoa mais próxima pode ter a doença. Pratique sempre a prevenção e leve a vida sem se preocupar com o herpes. Agora, se você tem o problema, é importante estar sempre em contato com o especialista e seguir suas orientações.