Pular para o conteúdo principal
Logo Facebook Powered By Logo OralB
09.11.2016

Herpes bucal: 6 formas mais comuns de contágio e como se proteger do problema

 Dividir uma bebida com alguém parece inofensivo, mas é melhor tomar cuidado: isso pode trazer riscos à sua saúde bucal
O contato com objetos pessoais contaminados pelo vírus da herpes bucal é uma das formas mais comuns de transmissão da doença
Dividir o mesmo talher com um amigo nem sempre é uma boa ideia. A especialista lembra que a saliva também é um dos meios por onde a herpes se propaga
Gostou do batom da sua amiga? Em vez de pedir emprestado, compre um igual e evite surpresas desagradáveis
Dividir uma lâmina de barbear com outra pessoa não é uma opção segura. O contato próximo do objeto com a boca pode ser o suficiente para transmissão da herpes bucal
Escovas de dente são itens pessoais e não devem ser compartilhadas. Preserve a saúde da sua boca e cuide desse objeto da forma correta

Expert

Natália Solon Nery

Natália Solon Nery

CRM: 15423

Graduada em Medicina pela Universidade Católica de Brasília e especialista em Clínica Médica pelo Hospital das Forças Armadas – HFA/DF, e em Dermatologia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ. É membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia – SBD. Possui título de especialista em Dermatologia pela Associação Médica Brasileira – AMB. Principais áreas de atuação: Dermatologia Clínica, Pediátrica, Cosmiatria/Dermatologia Estética, Pequenas Cirurgias, imunossupressores e imunobiológicos.

Você provavelmente já ouviu uma série de recomendações sobre o que fazer para não pegar herpes labial, certo? É porque, de fato, todo cuidado é pouco. De acordo com a dermatologista Natália Nery, as principais maneiras de contágio não estão assim tão distantes da nossa realidade. Seja na rotina ou até mesmo em situações menos comuns, esse vírus pode encontrar caminho em algum pequeno descuido e se instalar de vez no organismo. Para evitar que isso aconteça, o Sorrisologia vai te ajudar a descobrir como fechar todas as possíveis portas de entrada para esse inimigo.

O vírus pode estar presente mesmo quando você não o vê

Lutar contra um adversário invisível não é nada fácil. Além do contágio direto com a lesão pelo beijo e pela relação sexual oral, na hora de se prevenir, é importante lembrar que uma forma comum de propagação da doença é pela transmissão indireta. "Deve-se evitar o contato com qualquer coisa que possa ter tocado os lábios ou pele de outra pessoa antes que o objeto seja descontaminado", reforça Natália. Assim, com a ajuda da especialista, separamos algumas situações em que você pode estar exposto ao problema sem perceber:

1- Quando você bebe no mesmo copo que alguém

Mesmo sendo um gesto comum, dividir um copo ou até um canudo com outra pessoa pode ser mais arriscado do que parece. Isso porque a saliva - um dos principais meios de transmissão da herpes labial - continua no objeto compartilhado, mesmo que não seja visível a olho nu. Assim, para ficar livre de perigo, o ideal é que você tenha seu próprio copo e o mantenha sempre limpo.

2- Quando você usa a mesma toalha que o seu amigo ou namorado

Assim como os outros objetos de uso pessoal, a toalha não deve ser usada por mais ninguém além de você mesmo. Antes de pegar alguma emprestada, ou pensar em dividir a sua com outra pessoa, lembre-se que ela pode ser mais uma das formas de contato indireto com a doença. Isso vale tanto para as tolhas de banho quanto para as de rosto.

3- Quando você divide a comida com outra pessoa

Você e seu amigo decidiram dividir uma fatia de torta? Se um dos dois estiver contaminado com a herpes labial, essa não é uma boa ideia. Agora, se só houver um talher para ser usado por vocês, pior ainda. Assim como no caso do copo, o contato com a saliva é a brecha suficiente para afetar a sua saúde bucal.

4- Quando você empresta o seu batom

Amigas costumam dividir tudo, desde segredos à maquiagens. O batom, por exemplo, é um dos itens mais compartilhados e, por isso, um dos que mais oferecem risco. O problema se dá justamente por ele estar sempre em contato direto com a boca. Por mais que, naturalmente, a intimidade leve ao compartilhamento, é preciso ter reservas.

5- Quando você compartilha sua lâmina de barbear

Proteger a saúde requer alguns cuidados como ter a sua própria necessaire com os seus utensílios. Isso significa portar tudo o que você precisar sempre com você, o que também inclui ter a sua própria lâmina de barbear, por exemplo. Ela é pessoal e intransferível. Mesmo que dê trabalho, e pedir algo emprestado seja tentador, lembre-se de manter os hábitos de higiene em primeiro lugar.

6- Quando alguém usa sua escova de dente

Dividir uma escova de dente pode ser uma má ideia por diversos motivos, e um deles é o herpes labial. Sendo assim, nada de desculpas. Esqueceu a sua na hora de fazer as malas para aquela viagem? Compre uma no caminho. É importante lembrar que esse objeto é individual e, além disso, deve ser sempre guardado da forma correta para que não traga ainda mais problemas bucais. Para quem já tem o vírus, também outros cuidados também são necessários. "Considere, inclusive, trocar sua escova de dentes após uma crise da doença", aconselha a médica.

Mais Matérias: Herpes Labial
Herpes bucal x ansiedade: entenda como esses dois estão interligados e como prevenir a manifestação da doença
Herpes Labial
Herpes bucal x ansiedade: entenda como esses dois estão interligados e como prevenir a...
Você sabia que a ansiedade pode ser a causa de alguns problemas bucais? Entre eles, está a herpes ....
com a participação de:
Daniel Cohen Goldemberg
CRO-RJ: 29267
Herpes labial: o que é? Como surge? Quais são os sintomas? Qual é o melhor tratamento? Saiba tudo sobre o assunto
Herpes Labial
Herpes labial: o que é? Como surge? Quais são os sintomas? Qual é o melhor tratamento?...
Você desconfia que está com herpes labial? Olhar para o espelho e notar uma feridinha na boca pode...
com a participação de:
Dulce Helena Cabelho Passarelli
CRO-SP: 35856
Início do herpes na boca: veja como identificar os primeiros sintomas
Herpes Labial
Início do herpes na boca: veja como identificar os primeiros sintomas
Você já teve herpes na boca? Essa doença é muito conhecida por seu poder de...
com a participação de:
Dulce Helena Cabelho Passarelli
CRO-SP: 35856
Herpes labial na infância pode resultar de um sistema imunológico enfraquecido
Herpes Labial
Herpes labial na infância pode resultar de um sistema imunológico enfraquecido
Uma criança com febre pode significar diversas coisas, inclusive, herpes labial . Isso mesmo! Bolhas...
com a participação de:
Vânia Côrtes
CRO PR 14.282
Gengivite estomatite herpética: conheça o quadro e saiba os riscos durante a infância
Herpes Labial
Gengivite estomatite herpética: conheça o quadro e saiba os riscos durante a infância
Os papais e as mamães de plantão sabem como deve ser o cuidado para que os pequenos não...
com a participação de:
Vânia Côrtes
CRO PR 14.282
Herpes labial e intolerância a glúten: entenda a relação
Herpes Labial
Herpes labial e intolerância a glúten: entenda a relação
Você já deve ter lido em algumas embalagens de comidas a seguinte frase: contém glúten. O...
com a participação de:
Ludimila de Gouvêa Cerqueira e Ferreira