Pular para o conteúdo principal
Logo Facebook Powered By Logo OralB
04.08.2017

Herpes, afta, dermatite: quais são as características que diferenciam essas lesões na boca?

  Você sabe quais são as diferenças entre essas três lesões? A dermatologista Renata Ayd explica
Você sabe quais são as diferenças entre essas três lesões? A dermatologista Renata Ayd explica

Expert

Renata Ayd

Renata Ayd

CRM: 5267984-4

Medica dermatologista especialista pela SBD desde 2002; Membro da sociedade brasileira de dermatologia e da sociedade brasileira de cirurgia dermatológica.

Notar uma feridinha bem próxima ou dentro da boca é um motivo de bastante incômodo para qualquer pessoa. Além da questão estética e do desconforto que a lesão traz, também acaba gerando dúvidas sobre o significado dessa ferida. Será que é herpes, afta ou pode ser uma dermatite perioral? Existem muitas características que diferenciam um machucado do outro. A dermatologista Renata Ayd explica cada uma delas ao Sorrisologia.

Herpes bucal

Ele é um vírus muito comum, que acomete 10% de toda a população mundial, causando mais de dois milhões de casos por ano só no Brasil, segundo o Hospital Israelita A. Einstein. O herpes labial é uma doença bem frequente e que se inicia apenas com a sensação de coceira ou ardência no local que, respectivamente, vão surgir pequenas bolhas agrupadas.

As lesões costumam aparecer sempre no mesmo local, podendo haver vários fatores desencadeantes, como a exposição solar, febre, queda da imunidade e estresse. “Toda vez que há uma abrasão no local pode desencadear uma nova crise. Por isso, quando fazemos procedimentos dermatológicos agressivos, contamos com medicação oral profilática do vírus”, esclarece a dermatologista.

Aftas

Já as aftas são pequenas erosões que surgem na parte mucosa. Elas têm evolução de três a sete dias e não possuem nenhum componente viral, diferente do herpes. Existem relatos de associação desses machucados com alguns alimentos ácidos, como abacaxi, e a presença de H. Pylori, uma espécie de bactéria que infecta a mucosa do estômago da pessoa. Além disso, a presença de machucados repetidos por próteses costumam refletir em aftas frequentes no mesmo local. Por isso o acessório deve ser muito bem adaptado.

Agora, se essas lesões foram causadas devido à adaptação do aparelho, a cera ortodôntica ajuda a proteger os metais da mucosa, diminuindo o aparecimento das aftas. “Depois que elas surgem, podem ser usados alguns cremes anti-inflamatórios locais e após a escovação bochechos com soluções antissépticas”, recomenda.

Dermatite perioral

Um belo dia você olha para o espelho e repara que seu rosto está cheio de bolinhas ao redor da boca. Esse é um sinal da dermatite perioral, que é muito comum em peles mais sensíveis. “Ela aparece como área avermelhada e descamativa em volta da boca, sem presença de bolhas”, explica. Há relatos que um dos motivos do aparecimento é por excesso de flúor. “Nesses casos, devemos ficar atentos à quantidade do creme usado na escovação”, atenta. Lembre-se que a recomendação odontológica é uma quantidade proporcional ao tamanho de uma ervilha. Muita espuma em contato com a região perioral piora o quadro, principalmente quando a pele já está sensibilizada.

Renata diz que o tratamento dermatológico com ácidos pode facilitar no controle das lesões. “Existem cremes antibióticos que podem ser prescritos além de cremes que ajudam a recompor a barreira cutânea", afirma. É importante usar somente os medicamentos prescritos pelo dermatologista e evitar produtos muito fortes, com perfumes ou com conservantes. Até o protetor solar deve ser especial nesses casos, possuindo menos componentes irritantes.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Dra. Renata Ayd - Dermatologista
Niterói - RJ
CRM: 5267984-4

Mais Matérias: Herpes Labial
Afta nos lábios ou herpes labial: saiba como diferenciar essas duas lesões na boca
Herpes Labial
Afta nos lábios ou herpes labial: saiba como diferenciar essas duas lesões na boca
Se você já teve uma afta na boca, sabe muito bem a sensação de desconforto que...
com a participação de:
Daniele Machado
CRO-RJ 26.953
Herpes bucal x ansiedade: entenda como esses dois estão interligados e como prevenir a manifestação da doença
Herpes Labial
Herpes bucal x ansiedade: entenda como esses dois estão interligados e como prevenir a...
Você sabia que a ansiedade pode ser a causa de alguns problemas bucais? Entre eles, está a herpes ....
com a participação de:
Daniel Cohen Goldemberg
CRO-RJ: 29267
Herpes labial: o que é? Como surge? Quais são os sintomas? Qual é o melhor tratamento? Saiba tudo sobre o assunto
Herpes Labial
Herpes labial: o que é? Como surge? Quais são os sintomas? Qual é o melhor tratamento?...
Você desconfia que está com herpes labial? Olhar para o espelho e notar uma feridinha na boca pode...
com a participação de:
Dulce Helena Cabelho Passarelli
CRO-SP: 35856
Início do herpes na boca: veja como identificar os primeiros sintomas
Herpes Labial
Início do herpes na boca: veja como identificar os primeiros sintomas
Você já teve herpes na boca? Essa doença é muito conhecida por seu poder de...
com a participação de:
Dulce Helena Cabelho Passarelli
CRO-SP: 35856
Herpes labial na infância pode resultar de um sistema imunológico enfraquecido
Herpes Labial
Herpes labial na infância pode resultar de um sistema imunológico enfraquecido
Uma criança com febre pode significar diversas coisas, inclusive, herpes labial . Isso mesmo! Bolhas...
com a participação de:
Vânia Côrtes
CRO PR 14.282
Gengivite estomatite herpética: conheça o quadro e saiba os riscos durante a infância
Herpes Labial
Gengivite estomatite herpética: conheça o quadro e saiba os riscos durante a infância
Os papais e as mamães de plantão sabem como deve ser o cuidado para que os pequenos não...
com a participação de:
Vânia Côrtes
CRO PR 14.282