Pular para o conteúdo principal
Logo Facebook Powered By Logo OralB
11.02.2021

Garganta seca é um sintoma de COVID-19? Saiba quando o problema bucal pode estar relacionado com o novo coronavírus

Entenda a relação desse sintoma com a COVID-19 e como aliviar o problema
Entenda a relação desse sintoma com a COVID-19 e como aliviar o problema

Expert

Uila Ramos da Silva

Uila Ramos da Silva

CRO-PE 10.380

Cirurgiã-Dentista formada pela Universidade Federal de Pernambuco, Ortodontista formada pela Faculdade de Odontologia do Recife, apaixonada pela profissão e motivada por valorizar a vida transformando sorrisos e restaurando a vontade de sorrir!

Dentre os principais sintomas do novo coronavírus, as dores no corpo, o mal estar e a dificuldade ao respirar são os mais apontados pelos profissionais de saúde. No entanto, quem acaba contraindo a doença, também precisa estar atento a sinais que se assemelham muito com os de outros quadros de saúde. A garganta seca, por exemplo, é um deles. Para entender como esse problema bucal pode estar relacionado com a COVID-19, o Sorrisologia bateu um papo com a especialista Uila Ramos. Confira!

O que causa garganta seca?

Geralmente, a garganta seca está ligada com uma redução no fluxo salivar, o que é popularmente conhecido como sensação de boca seca. “O quadro pode resultar em dificuldade para falar, mastigar, deglutir, sensação de secura na boca, dor na garganta, lábios ressecados e saliva espessa”, explica a Uila. Ainda assim, vale ressaltar que existem outros motivos por trás do sintoma de garganta seca que também se apresentam de forma dolorida, porém com origens inflamatórias e não inflamatórias. Veja algumas delas:

- Apneia do sono: acordar com a boca seca e dor de garganta é comum em quem apresenta este problema. Isso porque a apneia se caracteriza por vários despertares durante a noite, como o sono agitado e o ronco, que prejudicam a produção de saliva;

- Doenças inflamatórias sistêmicas;

- Doenças que afetam as glândulas salivares: síndrome de Sjögren, lúpus, diabetes, doença de Parkinson e SIDA podem causar o sintoma;

- Efeitos da quimioterapia e/ou radioterapia no tratamento de tumores em regiões de cabeça/pescoço que afetam as glândulas salivares;

- Efeitos secundários de medicamentos: antidepressivos, anti-hipertensivos, anti-histamínicos são alguns tipos de remédios que podem causar a sensação de garganta seca;

- Menopausa;

- Respiração bucal: a sensação de garganta seca é provocada pela obstrução parcial ou total das vias aéreas superiores que prejudica a passagem do ar pelo nariz. Pacientes com desvio de septo nasal e rinite alérgica, por exemplo, costumam ser bastante afetados;

- Tumores na região da garganta;

- Xerostomia: nesse caso, a garganta seca é resultado da redução do fluxo salivar desencadeado por uma hipofunção da glândula salivar;

Afinal, garganta seca pode ser COVID-19?

Sim! De acordo com a especialista, os sintomas comuns de uma síndrome gripal com febre, tosse, dor de garganta e garganta seca, também podem estar relacionados ao quadro de COVID-19. Nesse caso, a dentista adianta: "A abordagem clínica pode ajudar a reconhecer a suspeita da doença, bem como o nível de gravidade de acordo com os sintomas. No entanto, isto merece uma especial atenção através do diagnóstico preciso com o exame da RT-PCR ou o exame sorológico”. Justamente por causar um grande incômodo e dificultar hábitos importantes, como a alimentação, a sensação de garganta seca deve ser tratada o quanto antes. Fique atento!

Garganta seca: o que fazer para aliviar o incômodo

Para tratar a garganta seca, o primeiro passo é controlar as causas desse problema. “É preciso identificar se há outros sintomas, se o paciente apresenta alguma doença sistêmica que favoreça esta secura na região ou outros fatores que possam estar relacionados ao desenvolvimento desta condição”, alerta a profissional. Em tempos de pandemia, o quadro de COVID-19 não deve ser descartado, principalmente quando acompanhado de sintomas respiratórios.

De maneira geral, existem algumas medidas que podem ajudar quando se sabe qual o fator responsável pela presença do sintoma. “Aumentar o consumo de água, não fumar, evitar excesso de consumo de bebida alcoólica, reduzir a quantidade de sal ingerido e manter uma alimentação saudável, diversificada e rica em nutrientes são os cuidados principais”, aconselha a Drª Uila.

No caso de pessoas que apresentam xerostomia ou outras condições que reduzem o fluxo salivar, o ideal é manter um acompanhamento odontológico para garantir a prevenção de doenças bucais, como a cárie dentária, formação de placa bacteriana e a gengivite.

Este artigo contou com a participação de:
Uila Ramos da Silva
CRO-PE 10.380
Cirurgiã-Dentista formada pela Universidade Federal de Pernambuco, Ortodontista formada pela Faculdade de Odontologia do Recife

Mais Matérias: Saúde Bucal
Gengivite tem cura? Especialista explica como lidar com o problema
Saúde Bucal
Gengivite tem cura? Especialista explica como lidar com o problema
A gengivite é uma doença bucal mais comum do que se imagina e que pode surgir em qualquer idade....
com a participação de:
Maurício Duarte da Conceição
CRO-SP: 34.205
Halitose: tratamento caseiro pode ajudar? Descubra como acabar com o mau hálito
Saúde Bucal
Halitose: tratamento caseiro pode ajudar? Descubra como acabar com o mau hálito
A halitose é um dos problemas bucais mais temidos entre os pacientes. Comum em diferentes faixas...
com a participação de:
Maurício Duarte da Conceição
CRO-SP: 34.205
Gengiva inflamada por causa da prótese dentária: como tratar? Dentista explica todos os cuidados para acabar com o problema
Saúde Bucal
Gengiva inflamada por causa da prótese dentária: como tratar? Dentista explica todos os...
Sua gengiva está inflamada? Esse problema é muito comum em pessoas que não praticam uma boa...
com a participação de:
Camila Stofella Sodré
CRO-RJ: 40419
Implante dentário dói? Saiba como é feito o procedimento e os cuidados necessários
Saúde Bucal
Implante dentário dói? Saiba como é feito o procedimento e os cuidados necessários
A perda de um dente pode resultar em muito desconforto e vergonha para o paciente. Mas, graças aos...
com a participação de:
Rita Ventura
CRO-RJ: 42601
Consumo de alimentos ricos em açúcar faz parte do dia a dia do brasileiro: entenda como isso afeta a sua saúde bucal
Saúde Bucal
Consumo de alimentos ricos em açúcar faz parte do dia a dia do brasileiro: entenda como...
Biscoitos, bolos, doces e refrigerantes - são inúmeras as guloseimas presentes na...
com a participação de:
Nelson Alfarano
CRO-RJ: 18163
6 coisas que podem acontecer se você não trocar sua escova de dentes a cada 3 meses
Saúde Bucal
6 coisas que podem acontecer se você não trocar sua escova de dentes a cada 3 meses
Você lembra quando foi a última vez que trocou a sua escova de dentes ? Embora seja uma pergunta...
com a participação de:
Nelson Alfarano
CRO-RJ: 18163