Dentistas e pacientes que usam aparelho ortodôntico não podem negar: a manutenção é necessária! Por mais que possa causar um certo incômodo, a manutenção do aparelho ortodôntico serve para manter o tratamento dentro do planejado, seja no resultado e no seu tempo. E, por isso, precisa ser feito com uma frequência constante. Esse intervalo é definido pelo profissional e depende também dos cuidados que o paciente tem com o aparelho. A ortodontista Tatiana Rysovas explica melhor como isso acontece.

O intervalo entre uma manutenção e outra pode variar

As manutenções servem para garantir que o aparelho esteja fazendo a movimentação determinada pelo ortodontista. Em todo o ínicio de tratamento, eles analisam a arcada dentária do paciente e designam o que precisa ser corrigido. “Depois de identificados todos os problemas do paciente, o profissional monta um aparelho sob medida, que vai sendo ajustado de acordo com a movimentação dos dentes desejada e da arcada”, explica. A manutenção, então, impõe uma força e o sentido que ela vai ter para que o aparelho faça as mudanças indicadas.

Mas, para que tudo isso seja feito, é preciso que essas alterações sejam constantes. O intervalo ideal podem variar de 15 até 60 dias entre as consultas. “Isso vai depender do tipo de aparelho ortodôntico que está sendo usado e até mesmo da fase do tratamento”, comenta. Por isso, apenas o profissional responsável pelo seu caso poderá afirmar como será a frequência desse procedimento. Mas, em geral, ela é feita uma vez ao mês.

Seu aparelho dentário pode quebrar, sim! Atenção durante a alimentação pode ajudar

A manutenção é feita em duas situações: quando o aparelho necessita que uma nova força seja aplicada e quando algumas peças dele são danificadas. “Apesar de fortes o suficiente para alterar a configuração dos dentes, seus acessórios pedem cuidado especial para não quebrar ou descolar da superfície do dente”, comenta Tatiana. Alguns alimentos podem fazer com que o aparelho e seus acessórios sejam comprometidos. “Isso acontece porque o alimento empurra os braquetes durante a mordida, e pode causar estragos principalmente nos dentes incisivos de baixo”, explica. Por isso, o recomendado é evitar ao máximo morder os alimentos, principalmente aqueles duros. A especialista recomenda cortá-los em pequenos pedaços para facilitar a mastigação.

O atraso do tratamento é a maior complicação para quem não segue as orientações dos dentistas

Não comparecer ou esperar além do necessário para fazer as manutenções também geram complicações. “A demora em fazer as manutenções do aparelho ortodôntico pode atrasar o tratamento, levando assim um tempo maior do que o estimado inicialmente para o tratamento”, afirma. Isso se dá porque as forças, que seriam aplicadas no procedimento, não são feitas e o aparelho não tem a mesma eficácia do que teria.

Saber conservar o aparelho ortodôntico também pode ser essencial para não ter complicações. Isso significa adotar os cuidados necessários e recomendados pelos ortodontistas. Eles são basicamente dois: seguir uma dieta de alimentos leves e mais pastosos e ter uma rotina de cuidados com a higiene bucal. Cenoura, outros vegetais crus, milho de pipoca, balas e qualquer alimento duro ou pegajoso são os inimigos dos aparelhos ortodônticos, já que podem quebrá-los. O outro cuidado é relacionado à higiene oral. “É importante que o paciente siga as instruções de higiene, como o uso correto do fio dental e uso de escova adequada”, aconselha. Esses cuidados são essenciais no tratamento ortodôntico, evitando complicações que possivelmente também atrasariam o planejamento.

Quer saber mais como funciona o tratamento ortodôntico? Confira assistindo ao vídeo do Manual do Mundo:

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Tatiana Teixeira Rysovas - Ortodontista
São Paulo - SP
CRO-SP: 70447