Você já deve ter observado que algumas pessoas têm mais dificuldade para pronunciar determinadas palavras, certo? Esse fenômeno, conhecido como “língua presa”, é derivado do freio lingual mais curto; enquanto que o freio labial pode afetar diretamente o sorriso de uma pessoa. Para entender um pouco mais sobre cada uma dessas condições e como elas podem interferir na saúde, a dentista Dulce Moreth explicou ao Sorrisologia tudo que você precisa saber. Veja só!

Quais as diferenças entre o freio labial e o freio lingual?

Segundo a especialista, o freio labial é uma estrutura que se localiza na gengiva, normalmente entre os dentes incisivos centrais, e se insere nos lábios superiores e inferiores. Esse tipo de estrutura influencia no movimento dos lábios, limitando-os e podendo prejudicar o sorriso do indivíduo. “Já o freio lingual está localizado na parte do assoalho bucal e se adere por baixo da língua. Essa estrutura anatômica funciona limitando os movimentos da língua”, finaliza.

Quando é recomendada a remoção de cada um?

Pode-se indicar a remoção do freio labial ou lingual em vários casos, mas é preciso que a recomendação parta sempre de um profissional especializado. Quando o freio labial é muito curto, de forma que limita e encurta o lábio superior na hora do sorriso, a remoção do freio deve imediatamente resolver o problema. “Muitas vezes os freios labiais são tão robustos e baixos que têm sua inserção nos dentes da frente. Isso pode acontecer tanto embaixo, quanto em cima. Dessa forma os dentes serão afastados, e gerarão aquele aspecto de “falha”, chamado de diastema. Nesses casos além da remoção do freio, os dentes devem ser aproximados por meio de instalação de aparelho ortodôntico”, explica a dentista.

Na língua, quando o freio está muito curto ou muito para frente, é um caso de anquiloglossia, também conhecido como “língua presa”. Isso faz com que o paciente perca a capacidade de pronunciar determinadas palavras, uma vez que os movimentos da língua ficam mais limitados. Com a remoção do freio, porém, a correção da fala não é garantida, sendo necessário que o paciente passe por tratamento fonoaudiológico. “Tanto para os freios labiais quanto para o freio lingual, pode ser indicada a remoção em pacientes desdentados totais que precisam colocar uma dentadura”, afirmou.

Que cuidados o paciente deve tomar após a cirurgia?

Assim como em qualquer procedimento cirúrgico, é necessário seguir uma série de cuidados para que o processo de recuperação seja eficaz. De acordo com a especialista, deve-se ter um cuidado a mais com a higiene local e fazer o uso correto dos medicamentos indicados, além de optar por alimentação pastosa e fria ao invés de comidas salgadas e muito quentes nas primeiras 48 horas.

É possível perder a sensibilidade dos lábios ou da língua após esse tipo de procedimento?

Segundo Dulce, o risco de perda de sensibilidade é baixíssimo, mas há a possibilidade disso acontecer caso seja feita uma incisão muito profunda que lesione algum nervo motor ou sensitivo. “Vale lembrar que essa perda é transitória na maioria dos casos, já que com o tempo a sensibilidade vai voltando”, complementou a dentista.

Este artigo tem a contribuição da especialista:
Dulce Lara Moreth - Cirurgiã-dentista da Clínica DH Odonto especialista em Endodontia
Rio de Janeiro - RJ
CRO-RJ 25.461