Logo nos primeiros meses do bebê, a boquinha é um dos principais aspectos para se ficar atento: observar se o freio da língua é mais curto do que o normal, por exemplo, é importante para evitar que problemas possam afetar a criança futuramente. Para entender um pouco mais sobre essa anomalia e como ela interfere na saúde do bebê e no processo de amamentação, o Sorrisologia conversou com a dentista Renata Paraguassu, que esclareceu a questão. Confira!

O que é anquiloglossia e como ela pode afetar a amamentação?

A anquiloglossia é uma condição popularmente conhecida como “língua presa”. Segundo a especialista, ela é caracterizada pelo encurtamento do tecido que conecta a língua com o assoalho bucal. Por conta desse problema, é comum que alguns bebês apresentem mais dificuldade no processo de amamentação. “A restrição na movimentação da língua pode causar dificuldade na execução da sucção no seio materno, conhecido também como movimento de "ordenha"”, esclarece Renata.

Como identificar se seu filho possui o freio da língua curto? Se sim, quais são as principais recomendações?

Descobrir se seu filho possui ou não a língua presa não é tão difícil quanto parece. Segundo as orientações da dentista, basta pedir para que a criança coloque a língua para fora; nos casos de bebês, segurar a ponta da mesma e tracioná-la levemente. “Caso a anquiloglossia esteja presente, a ponta da língua será passível de ser estendida por curta distância, no limite dos incisivos inferiores. Em casos mais acentuados, a ponta da língua adquire um formato de coração ao ser colocado para fora”, indica. Quando isso acontece, cabe aos pais a levar a criança o quanto antes ao odontopediatra, para que este possa dar a melhor forma de condução do caso.

Quais são os tratamentos disponíveis para corrigir o freio da língua? Como eles são feitos?

O tratamento pode variar desde uma simples fonoterapia até uma possível cirurgia, dependendo muito da análise de cada caso, que deve ser sempre orientada por um profissional da área. A fonoterapia auxilia no tratamento através de exercícios de motricidade oral, realizada por um fonoaudiólogo após o encaminhamento do odontopediatra. “Já a cirurgia pode ser de dois tipos: a frenotomia, onde ocorre a remoção de parte do tecido, ou a frenectomia, onde se remove todo o tecido do freio lingual. Dependendo das circunstâncias, esse procedimento deve ser realizado em ambiente hospitalar.”
Caso não seja realizado o tratamento correto, a criança pode passar a ter dificuldades na alimentação, consequentemente gerando perda de peso. Além disso, problemas na fonoarticulação também podem ocorrer.

Este artigo tem a contribuição da especialista:
Renata Paraguassu - Cirurgiã-dentista da Clínica Vivah Odonto
Rio de Janeiro - RJ
CRO-RJ: 24711