No geral, a extração do dente siso é considerada um procedimento bastante tranquilo pelos dentistas. Mesmo que alguns pacientes tenham medo até de falar sobre o assunto, a cirurgia é segura e, sendo realizada por um profissional capacitado, tem tudo para ser um sucesso. Por outro lado, existem alguns cenários que pedem atenção redobrada dos profissionais por terem um grau de complicação maior durante a técnica. Para esclarecer melhor esses casos de extração, o Sorrisologia entrevistou o cirurgião-dentista Max Ferreira.

O procedimento de extração de siso

A extração dos sisos consiste em uma cirurgia de pequeno porte. O procedimento pode ser realizado nos dentes inclusos, aqueles que não erupcionaram, ou que já despontaram na gengiva. Se você está preocupado com a dor, fique tranquilo! A remoção é realizada sob o efeito de anestesia local e em um ambiente ambulatorial, geralmente no próprio consultório dentário. Dentro da área odontológica, o especialista responsável por essa extração é o cirurgião-bucomaxilofacial ou o próprio cirurgião-dentista.A técnica é indicada para casos em que o dente siso não nasce adequadamente ou não possui espaço na arcada dentária.

Situações em que a extração de siso pode se tornar complicada

Embora seja um procedimento considerado tranquilo e altamente recomendado pelos dentistas, existem alguns casos que merecem um cuidado maior durante a cirurgia, como pacientes que apresentam alguma doença sistêmica que podem vir a ter complicações. No entanto, aqueles que possuem uma boa saúde geral e passam pelo procedimento podem ter como maior complicador o posicionamento do siso no hemiarco (quadrante dentário). “Ele pode não ter espaço suficiente para erupcionar e causar problemas ao dente vizinho”, explica o profissional. Além disso, o dente siso pode estar localizado no interior do tecido ósseo, quando ele permanece incluso, ou seja, não consegue irromper. Nesse caso, ele se mantém próximo de estruturas importantes, consideradas nobres, como o canal mandibular, por onde passam os nervos, artérias e veias alveolares inferiores.

O que fazer em situações de extração mais complicada?

Para proceder com a cirurgia, são necessários exames de imagem, como radiografia e tomografias. Com o auxílio desses resultados, o dentista poderá fazer um melhor estudo do posicionamento dos sisos na arcada dentária. “A cirurgia, normalmente, torna-se mais delicada e demorada, pois as estruturas nobres devem sempre ser preservadas”, ressalta Max. A complexidade do procedimento vai depender muito da forma, tamanho e posição do dente.

Casos de extração de siso complicada: cuidados e recuperação

Vale ressaltar que a cirurgia de dente siso deve ser encarada com toda a seriedade. É de suma necessidade o cuidado das estruturas dentárias nobres e a manipulação tecidual mais profunda. Assim como a remoção, o pós-operatório terá uma velocidade de recuperação equivalente ao grau de dificuldade de extração e extensão do procedimento. “Casos mais complicados, ou onde mais de um elemento será removido, demandará uma recuperação mais lenta”, destaca Max. Para ter uma recuperação tranquila, lembre-se de seguir todas as prescrições e indicações do dentista.