Antigamente, a extração de dentes era uma indicação comum dos profissionais de odontologia quando algum problema acometia a saúde bucal dos pacientes. Com o avanço das tecnologias foi descoberto o quanto é importante que a dentição desse paciente esteja completa, e a extração dental é vista como um procedimento de último caso. Se você precisou passar por ela ainda assim, fique tranquilo, pois é totalmente seguro. Contudo não se deve abrir mão de alguns cuidados importantes após a cirurgia. O Sorrisologia conversou com a dentista Laura Neya Nogueira para falar de alguns hábitos do cotidiano que podem ser prejudiciais nesse momento.

Em quais casos a extração de dente é indicada?

Atualmente, os profissionais de odontologia indicam a extração dentária em casos que esse dente não tem mais possibilidade de ser mantido. Laura explica mais sobre o caso: “Geralmente esses procedimentos são indicados quando o tratamento de canal não teve resultado satisfatório, ou quando há quadros de raízes fraturadas e dentes com sérios problemas periodontais com grande perda óssea”, comenta.

Os cuidados indicados antes e depois do procedimento

Segundo a profissional, antes da extração de um dente é observado o estado geral de saúde do paciente e se há, por exemplo, complicações cardíacas, pressão alta, válvulas cardíacas e se o paciente toma anticoagulantes. A profissional completa: “Saber sobre o controle da glicemia, diabetes, também é importante, pois o quadro tem grande influência no momento da cicatrização”, comenta Laura.

Depois do procedimento, deve ser evitada a exposição ao sol e esforço físico. A alimentação deverá ser mais fria, líquida e pastosa pelas primeiras 48 horas, e os alimentos quentes e duros precisam ser evitados até a remoção dos pontos. “É importante que ele faça compressas com gelo do lado externo da face para evitar edemas e inchaços, e que tenha uma escovação cautelosa da região operada. Os demais dentes, bochechas e língua higienizar normalmente”, adverte a profissional.

Hábitos podem ser prejudiciais após a cirurgia

Além de seguir as recomendações do dentista, o paciente que acabou de passar pela cirurgia precisa evitar ações como cuspir e bochechos pelas primeiras 48 horas, bem como o hábito de fumar. “Esses descuidos podem trazer o rompimento dos pontos por fazer uma pressão negativa dentro da boca. Eles ainda podem causar o deslocamento do coágulo de dentro do alvéolo, o que deixa o osso seco e a cavidade oral exposta, podendo levar a infecção da ferida”, completa.

No caso de infecção, sintomas de dor e febre devem aparecer, e a dor normalmente se parece com pontadas ou fisgadas na região operada. Em alguns casos há relatos de dor intensa e pulsante. “O paciente deve imediatamente procurar o profissional dentista que deverá avaliar a medicação dada e fazer intervenções locais”, finaliza.