Assim que a lesão surge na boca, a tentação em procurar remédios caseiros na internet pode falar mais alto, mas não se engane: a solução para a afta só deve ser recomendada por um profissional capacitado. Para driblar a situação da forma certa, o estomatologista Daniel Cohen explica como é feito o diagnóstico e quais são as opções de tratamento.

O que é a afta?

A estomatite aftosa recorrente, mais conhecida como afta, se caracteriza por uma condição inflamatória. “Ela varia desde uma pequena lesão que geralmente cicatriza em até 7 dias, até uma grande úlcera que pode evoluir em semanas e resultar em cicatrizes”, explica o especialista. Daniel ainda conta que esse quadro tende a se manifestar desde a infância até a idade adulta, mas a boa notícia é que a ocorrência vai reduzindo com o passar dos anos.

Se ela demorar a cicatrizar, fique atento

Caso você esteja lidando com essa feridinha bem dolorosa há muito tempo, o especialista aconselha que ela seja investigada. “Qualquer lesão da cavidade bucal que durar mais de duas semanas deve ser obrigatoriamente submetida a biópsia (uma pequena cirurgia para remover um fragmento do tecido e realizar uma investigação para excluir lesões mais preocupantes)”, esclarece.

Formas de tratamento

Existem algumas maneiras de tratar o ferimento na cavidade oral, e elas variam em cada caso. O dentista explica que corticóides tópicos podem ser indicados e até combinados com anestésicos para alívio dos sintomas. “Em ocorrências mais graves, pode ser utilizado o corticóide sistêmico, mas sempre acompanhado pelo especialista em estomatologia. Além disso, a laserterapia de baixa potência vem apresentando resultados promissores como terapia auxiliar”.

A sua alimentação pode influenciar

“Não existem alimentos capazes de prevenir o desencadear de aftas, especialmente porque a doença está relacionada a uma desregulação do nosso sistema imune”, explica Cohen. Ainda assim, o especialista ressalta que uma dieta balanceada é importante. É por meio dela que a deficiência de ferro e vitaminas pode ser suprida e, assim, o organismo se torna mais forte para combater as úlceras.

Por outro lado, a alimentação também pode estimular o surgimento das aftas. “Alimentos crocantes e com cascas podem ferir a mucosa bucal e desencadear essas lesões, por isso, é melhor que sejam evitados”, alerta o dentista. O segredo, na verdade, é conhecer todas as opções e optar por uma dieta equilibrada.

Nunca tente nada por conta própria

Já é esperado: todo mundo sempre tem um conselho ou técnica infalível para fazer a afta desaparecer em pouco tempo. Mesmo que a dica seja aparentemente inofensiva, opte por consultar um especialista ao invés de arriscar sua saúde. Só ele é capaz de diagnosticar o que pode estar por trás desse problema, indicando a forma mais adequada para combatê-lo.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Daniel Cohen Goldemberg - PhD. Estomatologia e Patologia Bucal
Rio de Janeiro - RJ
CRO-RJ: 29267