Você já conhece o escaneamento intraoral? É um procedimento recente que tem a função de escanear digitalmente a arcada dentária do paciente, sem a necessidade do processo de moldagem com aquele massinha rosa. Além do mais, esse processo usa da tecnologia para diminuir o tempo e aumentar a precisão dos resultados. “Ao gerar um modelo virtual da arcada instantaneamente, o profissional pode avaliar o paciente quanto à sua oclusão e comunicar de forma mais clara e visual ao paciente as necessidades e as possibilidades de tratamento”, complementa o especialista em implantodontia Ricardo Teixeira. O Sorrisologia conversou mais com o especialista para entender como o escaneamento pode ajudar processos odontológicos, principalmente o de moldagem.

Escaneamento intraoral: como funciona?

O procedimento é feito todo com uma máquina de escaneamento. Essa ferramenta é inserida na área onde ficam os dentes e gengivas, projetando uma luz sobre toda a superfície. “A luz refletida é captada por seu sensor de imagem e o software de escaneamento gera uma nuvem de pontos que serão triangulados após tomadas sucessivas de imagem gerando um modelo tridimensional superficial do paciente”, acrescenta o especialista. O processo gera o modelo virtual da arcada do paciente, copiando tanto os tecidos duros, dentes, quanto os moles, gengiva. Com isso, o profissional pode avaliar melhor quais procedimentos fazer e consegue ter mais precisão em suas decisões. Legal, né? :)

O escaneamento ajuda em processo de moldagem complexos

Além de diminuir o tempo do procedimento e aumentar a precisão dos dentistas, o escaneamento intraoral pode ser a solução para alguns pacientes que têm dificuldade de realizar o processo de moldagem convencional. Você já precisou fazê-lo? É um método em que o paciente morde uma moldeira com um gel rosa e tem de ficar com ela por alguns minutos. Alguns pacientes relatam um certo desconforto, mas existem aqueles que realmente não conseguem realizar esse tipo de exame. É o caso de pacientes com deformidades anatômicas no palato, ou seja, no céu da boca. Com eles, o material de moldagem pode escoar para a cavidade nasal, impedindo que se chegue a resultados.

Uma outra situação é quando o paciente tem Reflexo de GAG, com constantes ânsias de vômito. “A moldagem convencional muitas vezes dificulta uma impressão de qualidade ou traz extremo desconforto e angústia ao paciente”, comenta. Ainda quando há necessidade de múltiplos preparos dentários e implantes, o escaneamento pode ser uma boa saída. Nesses casos, nem todas as informações conseguem ser recolhidas em apenas um processo. Assim, usando a tecnologia, o dentista pode voltar ao local e colher os dados restantes.

Quando o escaneamento intraoral pode substituir a moldagem?

Mas, afinal, para quais procedimentos odontológicos o escaneamento intraoral pode ser usado? Basicamente, para todos em que a moldagem é necessária. Para o paciente que precisa de uma prótese dentária, por exemplo, a tecnologia permite a confecção dos modelos removíveis e também dos fixos. Já na ortodontia, o escaneamento pode ser feito para a confecção dos alinhadores e dos aparelhos, além de ajudar na análise da efetividade do tratamento com o tempo. Além destes, a técnica pode ser usada em muitos outros procedimentos. “A confecção de guias cirúrgicos, guias periodontais, coroas sobre dentes ou implantes baseados nestas informações aumentam a previsibilidade do tratamento”, acrescenta o especialista. Por isso, sempre pergunte ao seu dentista a possibilidade de optar pelo escaneamento, ;)

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Ricardo Gouvêa Teixeira - Especialista em cirurgia oral menor e implantodontia
Rio de Janeiro, RJ
CRO-RJ: 29409