A erosão dentária é um dos problemas bucais mais comuns e que pode afetar pessoas de todas as idades, mas será que a sensação de boca seca pode estar relacionada ao desgaste que acontece nos dentes? A saliva é fundamental para manter o equilíbrio da cavidade oral, e entender melhor essa relação pode ajudar a fugir desses transtornos. Confira o que o estomatologista Daniel Cohen tem a dizer sobre o assunto.

O que é a xerostomia?

Se você já teve a sensação de boca seca em algum momento da sua vida, sabe o que é isso. No entanto, de acordo com o especialista, essa é uma característica subjetiva, já que o paciente pode sentir a boca seca e não apresentar necessariamente diminuição do fluxo salivar, processo conhecido como hipossalivação. Essa redução de saliva pode ser confirmada através da sialometria, um exame simples realizado em ambiente ambulatorial que serve para verificar o quadro de saliva do paciente.

A xerostomia pode provocar a erosão dentária?

O profissional indica que o que de fato está associado a erosão dentária é a hipossalivação, uma vez que a saliva auxilia na neutralização dos ácidos na cavidade oral e a sua ausência ou redução pode agravar o problema. “Erosão dentária é uma patologia contemporânea, muito associada aos hábitos alimentares como consumo excessivo de refrigerantes e isotônicos, por exemplo. Pacientes com refluxo gastroesofágico ou bulimia, por exemplo, também apresentam um grande risco de apresentar erosão dentária pelo excesso de ácido do suco gástrico retornando à cavidade oral”, esclarece..

Diagnóstico de erosão dentária pode ser um desafio

Nas fases iniciais da doença, esse problema bucal nem sempre é facilmente identificado. Por isso, o estomatologista destaca que uma anamnese (questionário de saúde) criteriosa deve incluir todos os questionamentos relacionados ao risco de desenvolvimento do desgaste de estrutura dentária por excesso de substâncias ácidas. Isso ajudará o dentista a perceber se tal desgaste é derivado de algo interno, como o suco gástrico, ou externo, como o consumo de determinados tipos de alimentos, enxaguatórios bucais com pH baixo e/ou drogas ilícitas como a metanfetamina, a cocaína ou o ecstasy.

Prevenção é o melhor remédio

As causas para a boca seca podem ser inúmeras: desde o envelhecimento, até por ser um dos efeitos colaterais de determinados medicamentos ou tratamentos quimioterápicos e radioterápicos. Outros fatores que também podem influenciar no seu surgimento são o consumo de álcool, tabaco, drogas ilícitas ou ou mesmo em doenças auto-imunes como a síndrome de Sjögren, que pode apresentar uma hipossalivação ainda mais grave. Mas para prevenir essa doença, o especialista sugere que consultas preventivas devem ser feitas com frequência, preferencialmente por um especialista em estomatologia. “Independente da preocupação de pauta com erosão dentária e sensação de boca seca, todo cirurgião dentista deve estar preparado para realizar uma boa instrução de higiene oral”, conclui.

Outros problemas bucais causados pela boca seca

Segundo Daniel, a hipossalivação pode levar ao desenvolvimento de mau hálito, dificuldade de mastigação, deglutição e até fonação (fala), dificuldade para o uso de próteses parciais ou totais, dificuldades para sentir o gosto dos alimentos por conta de alteração na sensação gustativa (disgeusia) e sensação de garganta seca ou mesmo dor de garganta ou rouquidão. Além disso, ele conta que apesar de ser uma doença multifatorial, a diminuição de fluxo salivar também pode favorecer o desenvolvimento de cárie dentária

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Daniel Cohen Goldemberg - PhD. Estomatologia e Patologia Bucal
Rio de Janeiro - RJ
CRO-RJ: 29267