Quando algo vem incomodando seu sorriso, não há nada melhor do que ter uma boa conversa com seu dentista. Aparentemente, é um papo leve e descontraído, mas o profissional está perguntando sobre sua vida, seus hábitos alimentares e de higiene bucal não é à toa. Todo esse questionário faz parte da anamnese, um levantamento de dados a respeito da sua saúde geral e bucal. “Neste procedimento, procura-se informações a respeito da sua principal queixa, histórico próprio e familiar de doenças, quais medicações está usando e tratamentos feitos anteriormente”, explica o cirurgião-dentista Max Ferreira. Descubra como essa análise costuma ser realizada e esteja preparado.

Uma entrevista com o paciente

Você pode até pensar que não passa de uma conversa informal, mas seu dentista está anotando todas as informações para diagnosticar o que tanto lhe incomoda. De acordo com Max, a anamnese costuma ser um grupo de perguntas que acaba variando de acordo com a especialidade e foco do especialista. “Pode ser feita como um questionário entregue ao paciente antes da consulta inicial ou uma conversa com o profissional onde o mesmo através de um série de perguntas traçará um perfil do problema”, explica. De qualquer forma, é um procedimento importante e primordial para iniciar uma consulta ou tratamento odontológico.

Ela pode ser realizada regularmente

Para garantir um bom procedimento, a anamnese deve ser realizada no primeiro contato com o paciente e, depois, refazê-la nas visitas de acompanhamento. “É de boa norma em consultas de revisão manter as informações do paciente atualizadas. Complicações podem surgir no período de alta e influenciar tratamentos futuros”, atenta o dentista. Na odontologia, costuma-se usar o período regular de seis meses para revisões, mas isso não é uma regra. O profissional pode fazer no tempo que achar melhor para cada paciente.

O que é feito depois da anamnese?

Depois que todo o questionário é feito, o dentista realiza os exames físico e clínico para traçar o diagnóstico e o plano de tratamento. Esse plano será explicado detalhadamente ao paciente para saber se o mesmo concorda com todo planejamento. Essa decisão deve ser tomada em conjunto. “É muito importante também observar a expectativa da terapia, muitas vezes esse é um fator determinante para o sucesso”, ressalta o cirurgião. Ao longo da consulta, não deixe nenhuma informação passar. Conte tudo para o profissional e garanta sempre um tratamento de sucesso.