Pular para o conteúdo principal
Logo Facebook Powered By Logo OralB
20.05.2021

Endocardite: o que é, como tratar, quais as causas?

A endocardite pode ser prevenida através de cuidados com a higiene bucal e visitas regulares ao dentista. Saiba mais!
A endocardite pode ser prevenida através de cuidados com a higiene bucal e visitas regulares ao dentista. Saiba mais!

A endocardite é uma doença inflamatória que pode atingir as estruturas internas do coração. Embora seja pouco conhecido entre os pacientes, o quadro é originado pela má higiene bucal e pode afetar significativamente a qualidade de vida do paciente, trazendo danos irreversíveis para o sistema cardiovascular.

Podendo surgir de forma repentina ou lentamente, a endocardite bacteriana costuma se manifestar através de dores nos músculos, febre e tosse persistente. Por isso, é importante ficar atento a esse e outros sintomas da doença para buscar ajuda o quanto antes. Confira, a seguir, todas as principais informações sobre a endocardite, de acordo com especialistas.

O que é endocardite?

De maneira geral, a endocardite bacteriana é caracterizada pela inflamação do endocárdio - que é a estrutura interna do coração - causada por um quadro de infecção bacteriana. “O quadro pode ser desenvolvido quando bactérias da boca entram na corrente sanguínea e se alojam no coração”, explica a dentista Liana Araújo. Normalmente, a principal causa dessa contaminação está relacionada a ausência ou ineficiência da higiene bucal.

Ainda assim, existem outros fatores que podem servir de porta de entrada para a endocardite. “A patologia pode ser contraída através do uso de agulhas nos usuários de drogas injetáveis ou até mesmo decorrentes de tratamentos odontológicos cruentos, ou seja, quando há a presença de sangramento na hora do procedimento”, explica a cirurgiã-dentista Luciane Castro. Quando não tratada, a endocardite bacteriana pode resultar em um internação hospitalar, e em casos mais graves, até mesmo à óbito.

Endocardite bacteriana: entenda os tipos da doença

Muito se fala sobre a origem da endocardite bacteriana, mas poucos sabem que a patologia pode ser classificada de duas formas: aguda ou subaguda. Na primeira, a inflamação surge de maneira súbita, podendo evoluir rapidamente e afetar outras partes do corpo, como os pulmões, o fígado e até mesmo o cérebro. Na maioria dos casos, a endocardite aguda está associada a bactérias contidas em agulhas e seringas contaminadas. Já a endocardite bacteriana subaguda, é uma classificação mais leve da doença. Nesse caso, os sintomas tendem a surgir de forma gradual e, às vezes, persistir por mais de um ano.

Os fatores de risco para endocardite bacteriana

Assim como outras doenças, a endocardite costuma acometer pessoas que já estejam em fatores de risco. “Problemas nas válvulas cardíacas, defeitos congênitos no coração ou outros problemas cardíacos são alguns deles”, revela a endodontista Sofia Cabaleiro.

Outro cuidado que pode influenciar diretamente no desenvolvimento da endocardite é a rotina de higiene bucal. Isso porque a má escovação dos dentes pode favorecer o acúmulo de placa bacteriana e o surgimento de doenças bucais, como a gengivite, que facilitam a proliferação de bactérias na região. Dessa forma, o mau hábito pode servir como porta de entrada para a presença desses microrganismos na corrente sanguínea, o que pode resultar na endocardite bacteriana.

Dor nos músculos e febre não são os únicos sintomas da endocardite

Por se tratar de uma doença que pode surgir de duas maneiras diferentes, a endocardite bacteriana pode apresentar diversos sintomas, desde os mais brandos aos mais severos. Nesse caso, tudo vai depender da infecção originária da doença e do histórico médico do paciente. Mas, de maneira geral, os sintomas da endocardite são:

- Aumento do baço;
- Cansaço excessivo;
- Dor nos músculos e articulações;
- Fadiga;
- Febre;
- Hemorragia na retina e nos olhos;
- Manchas roxas e vermelhas na pele;
- Perda de peso não-intencional;
- Sangue e outras alterações na urina;
- Sudorese noturna;
- Tosse persistente.

As consequências da endocardite para saúde

Embora seja uma doença com origem na cavidade oral, a endocardite pode trazer uma série de prejuízos para a saúde geral do paciente. Acontece que, o alcance das bactérias na corrente sanguínea pode favorecer o surgimento de outros problemas, como infarto, infecção nos rins e insuficiência cardíaca. Quando não diagnosticada e tratada precocemente, a endocardite pode resultar na destruição da válvula cardíaca, o que pode levar ao óbito do paciente. Além disso, a patologia também pode acarretar outros problemas de saúde, como embolia pulmonar, isquemia de membros, AVC e infarto renal.

Como tratar a endocardite?

Por se tratar de uma doença que pode atingir diferentes partes do organismo, a endocardite exige um tratamento multidisciplinar. Geralmente, o paciente deve recorrer ao acompanhamento de dois profissionais: o dentista e o cardiologista - já que a doença se origina na cavidade bucal e avança para o coração. Enquanto o cardiologista é responsável por analisar o caso e prescrever as medicações adequadas, o dentista deve descobrir o agente causador da doença para garantir o tratamento bucal ideal.

O tratamento para endocardite é feito, principalmente, através da administração de antibióticos, podendo a cirurgia ser necessária. “Quando temos casos mais graves, onde ocorre a destruição da válvula cardíaca pela infecção, uma cirurgia de troca valvar é necessária com a implantação de uma válvula artificial”, comenta Luciane.

Os cuidados necessários para prevenir a endocardite

Diferente de outras doenças, a endocardite é um quadro grave e raro que pode ser prevenido. Os cuidados com a higiene bucal, por exemplo, podem fazer toda a diferença nesse processo. Isso porque, na maioria das vezes, as contaminações estão relacionadas a procedimentos dentários que envolvem sangue ou até mesmo a proliferação de bactérias causadas pela ausência de escovação.

“O paciente deve possuir uma higienização bucal adequada, com o uso de bochechos específicos em procedimentos cirúrgicos e, em alguns casos, uso de antibiótico profilático antes do procedimento dentário”, recomenda Liana. Além disso, é importante que o paciente mantenha visitas regulares ao dentista para um check-up odontológico.

Mais Matérias: Saúde Bucal
Carboidratos podem prejudicar os dentes?
Saúde Bucal
Carboidratos podem prejudicar os dentes?
Se engana quem pensa que a alimentação não pode influenciar na saúde bucal . Na verdade, existem diversos alimentos que podem prejudicar os dentes e favorecer o surgimento de algumas doenças bucais, como a cárie. Nesse caso, os carboidratos tendem a ser os primeiros colocados da lista. Para entender o...
Como limpar a língua: veja os sinais de que você não está fazendo isso corretamente
Saúde Bucal
Como limpar a língua: veja os sinais de que você não está fazendo isso corretamente
Não adianta: saber como limpar a língua é fundamental para sua saúde bucal. Além de prevenir a diminuição do fluxo salivar, o cuidado ajuda a combater o surgimento de cárie, mau hálito e outros problemas bucais que podem prejudicar o seu sorriso. Embora pareça uma tarefa...
Gengivite pode causar outros problemas bucais?
Saúde Bucal
Gengivite pode causar outros problemas bucais?
A gengivite é uma doença comum que pode comprometer bastante a sua saúde bucal. Causada pelo acúmulo de placa bacteriana, a condição apresenta sintomas como gengiva inflamada, mau hálito e inchaço no tecido gengival. Quando não diagnosticada e tratada corretamente, a gengivite pode trazer...
Cáseos amigdalianos: o que são e como afetam sua saúde bucal?
Saúde Bucal
Cáseos amigdalianos: o que são e como afetam sua saúde bucal?
Você já ouviu falar em cáseos amigdalianos? Popularmente conhecido como “bolinha na garganta”, o quadro é caracterizado pelo acúmulo de restos alimentares na boca. Geralmente, eles surgem em adultos e apresentam sintomas como mau hálito , garganta inflamada e dificuldade para engolir. Embora...
Quais práticas esportivas precisam de protetor bucal?
Saúde Bucal
Quais práticas esportivas precisam de protetor bucal?
Se você tem o costume de praticar esportes, já deve ter ouvido falar sobre o protetor bucal . Como o próprio nome já indica, o equipamento é o grande responsável por preservar os seus dentes, protegendo-os de possíveis impactos durante algumas práticas esportivas. Ainda assim, é comum que...
Harmonização facial: como saber se preciso desse procedimento?
Saúde Bucal
Harmonização facial: como saber se preciso desse procedimento?
A harmonização facial tem se tornado um procedimento estético de muita procura, sendo o...
com a participação de:
Rhianna Barreto
CRO-RJ:37448