Existe ainda um pensamento muito errado por parte de algumas pessoas quanto aos dentes de leite. Acontece que, por serem dentes ainda não permanentes, muitos acreditam que eles não exijam tanto cuidado já que têm prazo para cair. Mas um belo dia você levou a criança ao dentista para saber se está tudo bem. Após alguns exames e uma boa conversa, o profissional viu a necessidade de iniciar um tratamento ortodôntico. Mas será que é possível uma criança ainda com a dentição decídua colocar aparelho? É preciso ficar preocupado com isso? Para tirar algumas dúvidas e descobrir a possibilidade dessa terapia ainda na infância, convidamos a ortodontista Tatiana Rysovas que irá esclarecer o assunto.

Existe essa possibilidade?

Não se espante se um dia o odontopediatra indicar um tratamento ortodôntico para o seu filho que ainda tem os dentes de leite. A especialista assegura que crianças com a dentição decídua podem fazer tratamento ortodôntico em determinados casos. “Os mais comuns são os problemas de mordida cruzada, mordida aberta ou falta de espaço severa, quando os dentes nascem muito juntos”, tranquiliza. A partir dos 4 anos a criança já consegue ter uma boa colaboração do tratamento e os resultados aparecem bem mais rápido. 

Que tipo de aparelho é mais indicado?

A ortodontista explica que, na maioria dos casos, o aparelho que precisa ser usado é um expansor palatino. Ele não aparenta ser, mas é também um tipo de aparelho ortodôntico muito utilizado para corrigir a largura do céu da boca e tratar casos de mordida cruzada e da falta de espaço entre os dentes. Quanto mais cedo descobrir a necessidade de uso deste acessório, melhor. Assim, a criança consegue crescer com uma dentição alinhada e ser um adulto mais saudável, evitando tratamentos mais invasivos e longos durante a vida.

Após a troca de dentição, o tratamento ainda é indicado?

As notícias aqui são animadoras. Tatiana garante que, na maioria dos casos, o paciente não precisa repetir o tratamento, mas que é necessário fazer uma avaliação profissional ao longo da infância. “Primeiramente é feita a parte ortopédica. Depois é indicado um momento de pausa, como uma alta temporária, até que seja feita toda a troca dos dentes decíduos pelos permanentes e assim fazer uma nova avaliação”, explica. Quando a pessoa precisa voltar à terapia ortodôntica, será necessário o uso apenas do aparelho móvel para finalizar o alinhamento e encaixe dos dentes. Não deixe de acompanhar de perto cada etapa dessa fase e garanta sempre o melhor sorriso do seu filho.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Tatiana Teixeira Rysovas - Ortodontista
São Paulo - SP
CRO-SP: 70447