A avaliação psicossocial leva em consideração diversos fatores psicológicos e sociais para verificar o estado de saúde física e mental de um paciente. Em quadros de DTM, esse tipo de avaliação pode ser bastante útil para entender as possíveis causas da disfunção temporomandibular. Para entender como esse procedimento é feito e por que ele é tão importante, o Sorrisologia entrevistou a cirurgiã-dentista Rhianna Barreto. Confira!

O que é uma avaliação psicossocial?

Segundo a especialista, o termo psicossocial é o mais utilizado para descrever os fatores que podem afetar a saúde de um indivíduo, abrangendo fatores psicológicos (estresse, ansiedade e distúrbios do humor, traços temperamentais e emoções) e sociais (trabalho, estado civil, cultural e condições econômicas, comportamentos sociais e expectativas). Dessa forma, uma avaliação psicossocial pode ser descrita como a análise de todos esses fatores por um especialista na área.

Avaliação psicossocial é necessária em casos de DTM

As causas para a disfunção temporomandibular ainda não foram esclarecidas, mas é sabido que fatores externos, e principalmente psicológicos/sociais, podem estar relacionados ao seu desenvolvimento. “Apesar da etiologia do problema não ter sido estabelecida, fatores psicológicos têm sido implicados na predisposição, iniciação e perpetuação das DTM, por isso a importância da avaliação psicossocial. Tanto é que há a recomendação de que, além do diagnóstico físico, seja feita também uma avaliação psicossocial nos pacientes de DTM”, explica. Não é à toa que terapias psicológicas têm sido consideradas benéficas para alguns pacientes.

As consequências de não tratar a DTM

Quem sofre com a DTM geralmente apresenta quadros de dor, limitação do movimento da mandíbula, estalidos, crepitação, e se o problema não for tratado, todos esses sintomas podem se agravar. Dessa forma, o paciente acaba ficando limitado funcional e socialmente, tornando-se um quadro irreversível. “Quanto maior a demora para tratar a DTM, mais invasivo acaba sendo o tratamento, podendo chegar a ser cirúrgico em alguns casos”, alerta. Melhor se prevenir, né?

Tratamento multidisciplinar é a melhor alternativa

Como a DTM pode ser causada por diversos motivos, a melhor maneira de resolver o problema é através de um tratamento multidisciplinar, já que, além do dentista, o psicólogo e o fisioterapeuta também possuem um papel importante no tratamento. “O dentista tem a função de diagnosticar e tratar o tipo de DTM, a parte estrutural da articulação danificada, mas vários fatores são envolvidos na doença, por isso é necessário a avaliação e tratamento multidisciplinar na maioria dos casos”, explica.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Rhianna Barreto - Cirurgiã-Dentista
Rio de Janeiro - RJ
CRO-RJ:37448