Não é normal sentir dor no maxilar, principalmente ao mastigar. Mas afinal, o que pode estar causando isso? É importante entender a origem do problema para dar início ao tratamento mais indicado. “Vários fatores podem gerar dor no maxilar ao mastigar. Cada situação pode gerar um tipo de desconforto diferente e, consequentemente, um tratamento específico”, esclarece o cirurgião-dentista Johnathan Marcondes. Entenda o que pode estar acontecendo a seguir!

Bruxismo

Pacientes com bruxismo têm o hábito de ranger ou apertar os dentes involuntariamente, o que faz com que ocorra uma pressão muito grande sobre a articulação temporomandibular (ATM). Por isso que, segundo o especialista, esse hábito pode causar inflamações na região com o tempo, gerando desgastes da mesma e dos dentes, que ficam desalinhados e sobrecarregam ainda mais a ATM. “A principal forma de tratar o bruxismo é usando protetores bucais, feitos sob medida, que vão absorver o impacto e proteger os dentes e as articulações. Além disso, também há tratamentos com toxina botulínica, o Botox, associado a outras técnicas, como a acupuntura.”

Mordida cruzada

Outra possível causa é a mordida cruzada, já que os problemas de oclusão impedem o encaixe perfeito dos dentes. Dessa forma, o dentista explica que para compensar o desalinhamento, a articulação temporomandibular acaba trabalhando de forma inadequada, gerando os estalos e as dores musculares na região da mandíbula. “A mordida cruzada é corrigida com tratamento ortodôntico para a reabilitação oral.”

Abcessos dentários

Inflamações nas camadas mais profundas da polpa e do nervo do dente, decorrentes de uma cárie não tratada, por exemplo, podem desencadear os abcessos dentários. “Ao se infiltrar nas áreas mais internas do dente, as bactérias que causaram a infecção podem chegar à estrutura óssea, gerando dores intensas que podem se irradiar pelos músculos mandibulares”, esclarece. A melhor forma de evitar que essa situação aconteça é cuidando muito bem da higiene bucal e visitando o dentista regularmente.

Doença periodontal

O desenvolvimento de doenças periodontais também é um fator que deve ser observado, já que a inflamação do tecido gengival pode desencadear uma série de problemas para o paciente, podendo levar a perda dentária. “No estágio inicial, a doença periodontal geralmente é silenciosa, e quando as dores aparecem os ossos já estão muito comprometidos. Ela é causada por bactérias e, assim como os abcessos, pode atingir a articulação temporomandibular, resultando em dores no maxilar”, conta. Quanto ao tratamento desse quadro, o dentista comenta que ele é feito com raspagem das camadas profundas da gengiva e medicamentos para controlar a infecção e as dores.

Como lidar com a situação?

Cuidados simples do dia a dia podem ser de grande ajuda quando o assunto é reduzir as dores ou até mesmo evitá-las, especialmente se estiverem relacionadas ao estresse e sobrecarga dos músculos mandibulares, segundo Johnathan:
• Fale devagar: a pronúncia pausada de cada palavra movimenta muitos músculos da face e é um ótimo exercício para a mandíbula, fortalecendo a região;
• Boceje: não evite os bocejos involuntários. Além de serem importantes para a oxigenação do cérebro, eles ajudam a exercitar o maxilar;
• Não force o limite de abertura da boca: abrir a boca exageradamente sobrecarrega a articulação temporomandibular. Se tiver a sensação de travamento ou estalos, fale com o dentista.
• Marque uma consulta com um especialista: essa atitude é imprescindível para que o dentista avalie sua saúde oral e identifique a causa do problema.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Johnathan Marcondes - Cirurgião-Dentista
Parauapebas, PA
CRO-PA: 4456