A disfunção temporomandibular (DTM) é caracterizada por dores na região da mandíbula. “Estudos mostram que pacientes com DTM tem um impacto na qualidade de vida e nas atividades sociais, em função da dor que sentem”, explica a cirurgiã-dentista Rhianna Barreto. Os sintomas desse problema são vários, incluindo inchaços e zumbidos. Mas será que a dor na mandíbula ao mastigar também é um dos sinais da DTM? Fizemos a mesma pergunta para a profissional!

Dor ao mastigar tem relação com DTM?

Sim. Dores na mandíbula podem ser o primeiro sinal do quadro. Esses incômodos podem aparecer sempre que o paciente mastiga por muito tempo ou abre um pouco a boca. “A dor pode ser aguda ou ainda permanente por um tempo após mastigação, principalmente de alimentos duros ou que exigem muito esforço mastigatório”, explica a profissional.

Apesar das dores na mandíbula ao mastigar indicarem a DTM, nem sempre pode ser esse o diagnóstico. Apesar de ser o diagnóstico mais comum, o desconforto também pode apontar outros problemas, nem sempre bucais. Segundo ela, a origem pode ser por conta de problemas periodontais, dentárias ou ainda no coração. “Pode-se até mesmo sentir dor na mandíbula quando se tem um infarto do miocárdio (uma das manifestações é dor em mandíbula esquerda)”, comenta.

Dor na mandíbula e outros sintomas da DTM

Os sintomas mais comuns da DTM são dores e sensibilidade. Segundo a especialista, eles podem aparecer no rosto, pescoço, ombro, ao redor da orelha e na área correspondente à ATM. Mas além desses sintomas, a disfunção também pode dar outros sinais, como:

  - Capacidade limitada para abrir a boca
  - Desvio na abertura de boca
  - Maxilar “preso” na posição de boca fechada ou aberta
  - Sensação de cansaço no rosto
  - Sensação de dentes tocando diferente ou não tocando entre si
  - Sons saindo da articulação ao abrir ou fechar a boca ou mastigar (pode ou não ser acompanhados de dor)
  - Dificuldade para mastigar ou ter uma mordida repentina desconfortável - como se os dentes superiores e inferiores não estivessem encaixando corretamente
  - Inchaço do lado da face
  - Zumbidos
  - Dor de cabeça
  - Dor cervical

Tratamento para DTM depende do diagnóstico e sintomas apresentados pelo paciente

Os tratamentos podem depender muito do tipo de DTM que o paciente apresenta. É preciso o correto diagnóstico e, algumas vezes, os profissionais usam mais de um tratamento ao mesmo tempo. Para tratar a DTM, existem opções simples, como o uso das placas oclusais estabilizadoras ou reposicionadoras e também a viscossuplementação. Uma outra possibilidade é recorrer às terapias, como fisioterapia, termoterapia, laserterapia e psicoterapia. Em último caso, se o profissional julgar necessário, a cirurgia pode ser feita. “As artrotomias, ou cirurgia aberta, sempre devem ser a última opção quando os tratamentos conservadores não tiveram sucesso”, finaliza a cirurgiã-dentista.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Rhianna Barreto - Cirurgiã-Dentista
Rio de Janeiro - RJ
CRO-RJ: 37448