Ninguém gosta de sentir dor, não é? Ainda mais dor de dente que incomoda a ponto de dificultar a fala e mastigação. É de tirar o humor de qualquer pessoa.Tomar um analgésico e esperar o desconforto passar costuma ser uma das primeiras atitudes. Infelizmente, muita gente não leva a dor de dente tão a sério, a ponto de ignorar até não poder mais. E é assim que começa o grande problema. Além de não ser algo normal, a dor de dente, se não for tratada logo, pode trazer problemas maiores. A dentista Thalita Costa explica as possíveis causas e o que fazer nesses casos. 

Dor não é normal

Thalita aponta que quando a dor é fraca e suportável costuma-se adiar a ida ao dentista, esperando que a dor chegue no estágio insuportável. Entretanto, sentir dor nunca é normal. "Primeiramente, um dente saudável não dói, portanto, se qualquer desconforto acontecer, deve-se imediatamente procurar um dentista para a investigação do mesmo". Lembre-se sempre que a dor é um sinal de que algo está errado em seu corpo.

Só o dentista pode saber

"O dentista pode chegar a conclusão da causa somente com a sua queixa principal, história dentária através de perguntas específicas", afirma a profissional. O questionário envolve saber a intensidade da dor, duração, tipo, se algo diminui ou intensifica a dor, se algum medicamento foi tomado e houve melhora, se dói quando apalpa ou bate no dente. Além de realizar exame visual ou solicitar exames radiográficos para complementação do diagnóstico.

Por que dói?

A lista das possíveis causas de uma dor de dente é extensa. Segundo a profissional, pode ser desde uma cárie profunda à um tratamento ortodôntico. "Cárie profunda, retração de gengiva por trauma de escovação ou doenças gengivais por placa, bruxismo, dente quebrado, trincas no dente, restaurações infiltradas por cárie nova, erosão dentária por consumo excessivo de alimentos e bebidas ácidas, abcessos, trauma por uma mordida errada ou restaurações não ajustadas (altas), próteses unitárias não ajustadas, fratura de raíz, tratamento de canal incompleto, tratamento ortodôntico", dá alguns exemplos dos motivos mais corriqueiros para um dor de dente na rotina odontológica. Muitas possibilidades, né?

Como tratar a dor de dente

O tratamento vai depender da causa da dor. "Pode ser desde uma orientação de escovação, uma aplicação de dessensibilizantes, passando por uma simples restauração, até o tratamento de canal, chegando a drenagem de abcessos em casos mais severos", exemplifica Thalita.

Atenção ao uso de medicamentos

Quando sentimos uma dor, a primeira reação é logo procurar um medicamento que a alivie. Mas a dentista faz um alerta. "O uso de analgésicos costumam atenuar a dor em casos menos severos, porém o uso rotineiro desses tipos de remédios podem mascarar um diagnóstico sério", afirma e acrescentando que essa atitude faz adiar um tratamento que poderia ser simples. Ela ainda destaca o risco de intoxicação medicamentosa, que pode sobrecarregar os rins e fígados. "Se o paciente já tiver problemas crônicos nesses órgãos, piora-se o quadro sistêmico".

Procure um dentista!

O melhor caminho sempre vai ser o da prevenção. Não espere uma dor ficar insuportável para procurar um especialista. Além disso, o melhor tratamento vai ser aquele com um prognóstico a longo prazo, detectado no início. "Os dentistas estão aí para ajudar, tratar, orientar, tirar dúvidas, te ajudar com tudo o que há de mais moderno e menos invasivo. Então deixe o medo de lado e tenha um ótimo tempo com ele", finaliza.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Thalita Costa - Cirurgiã-dentista
Rio de Janeiro-RJ
CRO-SP: 113895