A dor de dente não tem uma hora exata para surgir. Geralmente, ela começa do nada tornando-se um incômodo para você. Pode acontecer durante uma viagem, à noite ou no trabalho... a verdade é que ela aparece em momentos imprevisíveis. O desconforto acaba variando de intensidade e causa, depende de cada caso. O correto é procurar o odontologista para descobrir o motivo desse problema. Entretanto, muitas das vezes, o momento nos impede de ir ao dentista imediatamente. Por isso, o profissional Paulo Moreira explica o que fazer para controlar a dor de dente inesperada até chegar ao dentista.

Causadores de uma dor de dente inesperada

A causa mais comum da dor de dente acontece por conta da pulpite, uma inflamação da polpa dentária localizada no interior do dente onde estão os vasos sanguíneos e nervos. “Geralmente, a pulpite ocorre por alguma falta de adaptação do material, o que permite que as bactérias se infiltrem através dos mesmos”, explica o dentista. A pulpite é a infiltração do tecido afetado por cárie até a polpa dentária, podendo acontecer em dentes hígidos, por baixo das restaurações ou de coroas protéticas.

Tipos de pulpite dentária

Dependendo do grau de inflamação, a pulpite apresenta quadros diferenciados. Nos casos do tipo reversível, acontecem inflamações e vasodilatação na polpa, sem a degeneração. Já nos irreversíveis, os nervos e vasos da polpa ficam necrosados. Além disso, são destruídos pela inflamação e infecção. Nessa situação, a polpa dental precisa ser removida totalmente e substituída através de uma restauração do canal afetado.

O que fazer para controlar a dor de dente?

Nos casos de dor de dente, o paciente deve procurar o dentista imediatamente para se consultar. Pode ser indicado analgésicos, anti-inflamatórios ou antibióticos, variando de acordo com o caso e sintomas. Em casos que a chegada ao dentista vai demorar um pouco, a aplicação de gelo no local é uma maneira de amenizar a dor até chegar ao consultório. “O uso de medicamentos pode controlar da dor”, completa o profissional. No entanto, estes só devem ser utilizados quando houver indicação médica. É importante que ocorra o diagnóstico correto para logo iniciar o tratamento. Assim, o fator causador do incômodo será eliminado o quanto antes. Vale lembrar que a prescrição deve ser feita pelo odontologista.

Os tratamentos para dor de dente

Na maioria dos casos de pulpites, o infiltrado bacteriano já apresenta o contato com a polpa dentária. Dessa maneira, é necessário o tratamento endodôntico. No entanto, a extensão da lesão em cada situação demandará outros tipos de soluções, conforme ressalta Paulo. “Pode ser necessária até mesmo a exodontia (extração) do dente em questão”. Já para os pacientes que apresentam o tipo de pulpite reversível, na maioria das vezes, são indicados a usar anti-inflamatórios. Além disso, pequenas restaurações podem solucionar o problema.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Paulo Moreira - Especialista em Cirurgia e Implantodontia
Rio de Janeiro - RJ
CRO: 40086