Finalmente chegou um dos dias mais esperados para você: o da retirada do aparelho fixo. Agora sim as suas preocupações e cuidados acabaram, certo? Nada disso! Pelo contrário, a remoção do acessório é só mais uma etapa da correção da oclusão dentária e você precisa continuar fazendo as visitas de retorno ao seu dentista. Com a ajuda do ortodontista Sérgio Casarim, separamos alguns cuidados e principais erros cometidos pelos pacientes nesse período após a remoção do aparelho ortodôntico.

"Tirei o aparelho, acabou o tratamento?"

Não exatamente. O ortodontista explica que a retirada do aparelho fixo significa que seus dentes estão na posição desejada. "Como eles estavam em outra posição, e os dentes são 'presos' por ossos e fibras, eles podem ter uma tendência a retornarem a sua posição inicial, ou seja, recidivar". Então, após a remoção do aparelho fixo é muito importante seguir a orientação do seu ortodontista quanto ao uso de algum aparelho de contenção, para que seus dentes não sofram essa reincidência.

Como funciona a contenção

A técnica da contenção pode ser feita de várias maneiras, podendo ser fixa ou móvel. "Existem muitos tipos e formas, mas todas têm o mesmo objetivo que é manter os dentes em sua posição final do tratamento, enquanto o organismo se reestrutura (ossos e fibras) para estabilizar os dentes em sua nova posição", explica o ortodontista.

Erro mais comum

Algumas pessoas acreditam que as consultas de retorno após a remoção do aparelho não são necessárias e abandonam o período de contenção. "Isso pode ocasionar uma alteração na posição dos dentes, as quais chamamos de recidiva", afirma Sérgio. Então fique atento! A continuidade das consultas após a retirada do aparelho é muito importante para o acompanhamento adequado e orientação sobre o uso da contenção.

Cuidados no pós-tratamento

O melhor cuidado para qualquer pós-tratamento é seguir a orientação do seu dentista. Segundo Sérgio, cada tipo de má oclusão inicial demandará um determinado tipo de contenção, tanto do tempo de utilização, quanto do tipo de aparelho. "Se o aparelho não for utilizado como o ortodontista orientou, os dentes podem movimentar-se para uma posição indesejada". O que vale aqui, e nunca é demais lembrar, é que você deve sempre comparecer às consultas de retorno agendadas e tirar as maiores dúvidas com o seu ortodontista.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Sérgio Henrique Casarim Fernandes - Ortodontia e Ortopedia Facial
Juiz de Fora - MG
CRO-MG: 15649