Você já ouviu falar da escova interdental? Digamos que essa ferramenta não é muito conhecida para a maioria dos sorrisos, mas está na boca do povo que usa aparelho ortodôntico. Ela é muito indicada não só pelos especialistas em Ortodontia, mas também por implantodontistas e protéticos, pois facilita a limpeza entre os dentes e qualquer outro local de difícil acesso, alvo do acúmulo de placa bacteriana. Quer saber o que esse acessório pode fazer pela saúde bucal? O ortodontista Sérgio Casarim explica todas as vantagens e a maneira certa de utilizar esse utensílio na sua limpeza diária.

O que ela pode fazer pelos seus dentes?

Ela tem um modelo bem diferente das outras escovas. Muitas vezes se apresenta com um cabo longo ou menor e seus tufos são curtinhos para escovar as regiões mais estreitas da arcada dentária. Por trás de todos esses detalhes, a escova interdental é famosa por complementar a higiene ortodôntica de muitos pacientes.

Este acessório também limpa os espaços interdentais de pessoas que usam pontes, coroas, implantes ou possuem dentes com espaços amplos. Ela tem um cabo ergonômico, que proporciona uma higiene mais eficaz, e filamento metálico recoberto por plástico, para proteger os dentes e gengivas.

A diferença entre a escova interdental e o fio dental

Muita gente fica na dúvida sobre a ordem de fazer a higiene bucal ortodôntica, principalmente em usar a escova interdental. Outras até acreditam que usando essa ferramenta complementar, o fio dental não precisa entrar na faxina. Mas Sérgio esclarece. "O fio dental serve para limpar entre os dentes, lugar em que a escova não chega. Logo, o uso do fio deve ser feito antes da escovação para higienizar primeiro os lugares mais difíceis e depois a escovação varrer o restante".

As ferramentas interdentais, o fio e a escova, precisam ser usadas em conjunto e, apesar da similaridade, cada uma tem sua função. No caso da higiene ortodôntica, por exemplo, a bitufo (escova interdental) ajuda a varrer toda a sujeira que fica por baixo dos fios e bráquetes e escova o espaço entre os dentes. Essa área, por ser muito reduzida, precisa do fio dental para limpar a placa que alcança a linha da gengiva. "A escova interdental auxilia a higiene bucal comum, de forma nenhuma ela substituiu uma boa escovação e o fio dental".

Fique atento ao período de troca

Uma escova de dente manual, por exemplo, precisa ser trocada a cada três meses ou antes, na eventualidade de doenças virais, como uma gripe. No caso da escova interdental, o tempo pode variar de paciente para paciente, dependendo da força e frequência das escovações. Isso pode oscilar de 3 a 6 meses. "O importante é ver se as cerdas da escova estão em bom estado. Quando as cerdas estiverem 'abertas' é hora de trocar a escova dental", atenta.

Incluir essa ferramenta na sua limpeza diária só trará mais benefícios à sua saúde bucal e bem-estar. Usando a escova interdental você se vê livre de doenças como a cárie, gengivite, periodontite e, até mesmo, o mau hálito, muito comum em pacientes ortodônticos, devido ao grande acúmulo de placa.