Seu bebê acordou com algumas bolinhas bem vermelhas no rosto, próximo à boca. A princípio você pensa que são mordidas de mosquito ou, de repente, o início de uma alergia simples. No entanto, existe outra alternativa que pode ter relação com a saliva, chamada de dermatite. Uma lesão avermelhada, áspera e, por vezes, descamativa causada pela exposição da pele a agentes irritativos. A dermatologista Sylvia Cysneiros explica que a pele da criança já é naturalmente sensível e delicada, por isso é muito comum observar este tipo de machucados na infância. Descubra como prevenir e tratar deste problema.

A causa da dermatite pode ser a saliva

Quando olhamos para aquela sobremesa gostosa dá uma água na boca, né? Isso significa que salivamos. Mas a saliva não é responsável só por isso. Ela protege a cavidade oral de muitas bactérias, mantém o ambiente em equilíbrio e tem grande produção durante a infância. Por outro lado, se este fluido estiver ácido pode causar problemas como a dermatite. "As causas freqüentes são o contato com a própria saliva do bebê e sucos cítricos", explica a profissional. As demais causas também são os produtos com que se lava as roupas das crianças, sabonetes e espumas de banho.

Por que é mais comum em bebês?

Sylvia conta que a dermatite de contato pela saliva é mais frequente em bebês que usam chupeta, pois a saliva fica acumulada entre o bico e a pele, provocando irritação. "Está relacionada também com o aparecimento dos primeiros dentes, já que é um período de maior salivação, e pode acometer a área perioral, queixo e pescoço". Durante a primeira idade os pequenos produzem muita saliva e isso vem aliado à dificuldade de engolir o fluído. O resultado disso você sabe: muita baba para enxugar.

O melhor tratamento é a proteção

Todo cuidado com o seu pequeno nunca é demais. Por isso, é importante manter o rosto dele sempre limpo de saliva para evitar a dermatite. "Algumas medidas que podem ajudar a minimizar o problema são manter a boca do bebê seca, usar babador para proteger a pele do pescoço e colocar uma fralda ou toalha debaixo do lençol, para absorverem o excesso de umidade", conclui. Evitar o uso de chupetas e consumo de sucos cítricos também ajudam a prevenir o problema.