Se você é dentista, provavelmente precisou mudar vários aspectos na sua rotina de trabalho devido à pandemia do coronavírus. Além do cancelamento de consultas, muitos precisaram reforçar as medidas de higiene e biossegurança nos consultórios e outros usaram soluções inteligentes para manter o tratamento dos pacientes à distância. Para entender melhor toda essa situação, o Sorrisologia entrevistou o dentista Daniel Cohen, que contou como está lidando com o novo COVID-19 e as ideias que está utilizando para ajudar os pacientes que estão em quarentena.

Entenda como pandemia da COVID-19 afetou a rotina dos consultórios dentários

De acordo com o dentista, faz um mês que todos os pacientes começaram a desmarcar consultas de primeira vez, retorno e até mesmo de procedimentos, como cirurgias e biópsias. “Na realidade, qualquer procedimento que pode ser prorrogado já foi cancelado. Os dentistas, inclusive, estão entre os profissionais que apresentam maior risco de contrair a doença pela quantidade de aerossóis produzidos durante as consultas e proximidade com o rosto do paciente”, informou.

Como lidar com o cancelamento das consultas e ajudar os paciente na quarentena?

Muitas pessoas estão conscientes da necessidade do isolamento social para evitar a proliferação do coronavírus. Pensando nisso e nos cancelamentos, o dentista adotou uma solução: “Assim que começou a quarentena no Brasil, iniciei o atendimento por telefone. Para o dentista, em muitos casos, funciona bem com uma anamnese (questionário de saúde) detalhada e instruções para aquisição de imagens e vídeos da cavidade oral do paciente”. Claro que nada substitui o exame físico, mas dentro da realidade atual, muitas vezes, esta modalidade é satisfatória e permite não quebrar a quarentena do paciente.

Entenda qual foi a saída para continuar atendendo os pacientes no consultório

Daniel listou todos os cuidados que está tomando dentro do consultório:

- Uso de equipamento de proteção individual descartável sobre os jalecos e substituídos para cada novo paciente;
- Utilização da face shield (máscara plástica de acrílico) que protege todo o rosto;
- Manter a higienização e descontaminação criteriosa de todo consultório dentário entre um paciente e outro;
- Recomendação para que pacientes não tragam acompanhante;
- Marcar consultas mais espaçadas entre um paciente e outro, para evitar que haja contato entre os mesmos na sala de espera.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Daniel Cohen Goldemberg - PhD. Estomatologia e Patologia Bucal
Rio de Janeiro - RJ
CRO-RJ: 29267