A adolescência é um período marcante acompanhado por muitas mudanças na vida. Afinal, trata-se da passagem da infância para a vida adulta. Nesse momento o que esperam da gente é juízo. Daí, logo lembramos dos dentes sisos, os últimos dentes a nascerem, geralmente entre os 16 e 20 anos de idade. Muitos pensam que o siso não serve pra nada e tem logo que ser arrancado. Mas vamos com calma! Em alguns casos é possível mantê-los na boca e ter uma boa convivência entre eles e os demais dentes. Além disso, há pacientes que possuem espaço em sua arcada dentária e podem permanecer com os novos dentes. A extração é indicada quando houver dor na região ou quando o dentista identificar qualquer comprometimento na arcada dentária.

Quem deve extrair os sisos?

Se os sisos, ou terceiros molares, romperem com suficiente espaço na boca a ponto de ser possível realizar uma eficaz higiene bucal, então, muito provavelmente, não haverá a necessidade de extraí-los. O problema começa quando vem aquele incômodo chato que já levanta a temida suspeita. “Normalmente quando os terceiros molares estão erupcionando, ocorre dor e inflamação, podendo vir acompanhado de inchaço e limitação de abertura bucal”, explica a ortodontista Sílvia Murta.

Não hesite em procurar seu dentista. Ele vai analisar o caso por meio de exames de raio-x e recomendar a melhor solução. Até porque, mesmo que haja espaço para os dentes do juízo nascerem, se não for possível fazer uma higienização completa na região, a cirurgia poderá ser necessária ainda assim. O nascimento dos sisos pode, inclusive, alterar a mordida e desalinhar os dentes. "Mas se o paciente tem espaço na arcada, o siso erupcionou adequadamente e ele tem contato com o superior, pode ser mantido sim", destaca Alessandro Silva.

Diferentes casos para extrair os sisos

Os sisos podem estar:

- encostados na raiz dos segundos molares, causando dor;

- sofrendo infecções constantes;

- em local de difícil higienização, com risco de apresentar cáries;

- inclusos, sem espaço para romperem,“Muitas vezes, os terceiros molares estão inclusos, ou seja, abaixo do nível do osso da mandíbula”, diz Sílvia.

- provocando dores no ouvido e/ou no maxilar;

- causando desalinhamento dos dentes e alterações na mordida. “Quando não há espaço, o dente do siso, ao irromper na cavidade oral, pode provocar dor e desalinhamento dos dentes vizinhos, trazendo desconforto ao paciente”, afirma Beatriz Bussab.

A melhor época para a extração dos sisos

Normalmente, a melhor época de extração dos sisos é entre 16 a 18 anos porque as raízes ainda estão em formação e eles não nasceram. No entanto, assim como destaca Sílvia, o aparecimento deles pode acontece até os 25 anos. Em muitos casos, algumas pessoas tardam em buscar ajuda. Esperar a dor surgir pra procurar o profissional pode trazer mais riscos, como uma infecção e, portanto, complicar a recuperação no pós-operatório. Por isso, sentiu um incômodo, não deixe de marcar uma consulta com seu dentista.

E quem usa aparelho ortodôntico?

Quem usa aparelho ortodôntico pode extrair os sisos quando houver a necessidade. Ainda mais porque, se eles romperem, podem comprometer a estrutura da mordida, prejudicando os avanços já realizados pelo ortodontista. "Caso o dente do siso esteja em uma posição muito desfavorável, prejudicando algum movimento que seja necessário que o segundo molar faça, esse pode impedir tal movimento ou ainda mais causar algum tipo de reabsorção radicular desse dente se sua posição estiver muito desfavorável", alerta Andréia Cotrim. Por esse motivo, é tão importante ter um acompanhamento de profissionais.

Cuidados no pós-operatório

"Os cuidados devem ser os mesmos cuidados para qualquer pós-operatório, dentre eles, repouso, evitar bochechos e alimentos quentes nas primeiras 24 horas, cuidados com higiene bucal, dentre outros", orienta Sílvia. A atenção com os alimentos consumidos e com a higienização precisa estar redobrada após realizar a cirurgia. Apesar de serem mais comuns a partir dos 30 anos, as inflamações na região dos sisos extraídos podem acontecer em qualquer fase da vida. Para evitá-las, fique de olho nessas recomendações.

Frios e pastosos nos primeiros dias

Evite mastigar e ingerir líquidos quentes nos três dias após a cirurgia. A alimentação fria ajuda a diminuir o inchaço da boca que permanece sensível durante o pós-operatório. Além disso, a temperatura fria ajuda a reduzir não somente o sangramento, mas também o risco de infecções. Por essa razão, colocar uma bolsa de gelo a cada vinte minutos nas 24h seguintes à operação também ajuda a diminuir o inchaço.

Não é pra tomar só sorvete!

Tudo bem que seu dentista liberou o consumo do sorvete, mas não abuse! Lembre da parte nutricional dos alimentos, ou seja, tomar só isso por três dias seguidos não vai ajudar. Além do excesso de açúcar que pode prejudicar seus dentes, prejudica também sua dieta. Equilibrar é preciso! Sopas e sucos variados vão te ajudar a ter uma recuperação com maior eficiência. A partir do terceiro dia, a alimentação pode ser pastosa e, ao longo da semana, é melhor continuar evitando qualquer coisa quente. Para os maiores de idade, nada de ingerir bebidas alcóolicas e fumar está fora de cogitação.

Retire os pontos após uma semana

Lembre-se de que, normalmente, uma semana é o tempo sugerido para permanecer com os pontos no local da extração dos sisos. Então é importante voltar ao consultório do cirurgião-dentista para a retirada dos pontos, evitando assim, acúmulo de restos de comida, de bactérias e, consequentemente, o aparecimento de outros problemas. Em alguns casos, é comum os pontos soltarem-se sozinhos ou serem do tipo reabsorvíveis, mas ainda assim, volte ao consultório do dentista para checar se o local cicatrizou adequadamente.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Andréia Cotrim Ferreira - Ortodontista

São Paulo - SP
CRO-SP: 39000

Sílvia Murta - Odontologista e Especialista em DTM e Dor Orofacial
Recife - PE

CRO: 7730

Alessandro Silva - Cirurgião buco-maxilo-facial
São Paulo - SP

CRO: 55444