Se você tem algum dente preso ou que parece não ter descido, saiba que você não está sozinho - o problema é mais comum do que se imagina! O importante, porém, é ficar alerta: quando não são tratados da forma correta, os dentes que ainda não desceram podem trazer uma série de complicações para a saúde bucal. Já deu para perceber que a questão não é apenas a estética do sorriso, certo? Para saber mais, o Sorrisologia conversou com o cirurgião Diego Limoeiro. Confira!

Saiba o que são os dentes inclusos, aqueles que não descem

Os dentes “presos” têm nome também são conhecidos por outro nome: dentes inclusos. São caracterizados dessa forma aqueles que, por algum motivo, não conseguiram erupcionar - isto é, “descer”. Os sisos são os dentes inclusos mais comuns, mas esse fenômeno também pode ocorrer nos caninos, pré-molares e incisivos, por exemplo. Além disso, existem também os dentes semi-inclusos, que só “desceram” parcialmente.

Dentes presos podem ser um problema bucal?

Apesar de ser algo muito comum, o Dr. Diego Limoeiro conta que manter os dentes inclusos sem tratamento pode trazer uma série de consequências para a saúde bucal. “Além de problemas de posicionamento dos outros dentes, eles podem causar infecções, cáries, reabsorção de dentes vizinhos e, mais raramente, cistos e tumores”, ele alerta. “Esses problemas podem ter várias causas, seja por infiltração de saliva, ou por degeneração de uma "placenta", denominada de capuz pericoronário, que eventualmente é a causa do problema pelo fato do dente ter ficado retido.

Na maior parte, os problemas são silenciosos, o que dificulta o diagnóstico. “Quando percebidos, podem ser necessárias cirurgias de maior porte”, diz Diego.

É possível que não haja um dente no espaço vazio?

Além dos casos de dentes inclusivos, há também o que é chamado de anodontia - quando, na verdade, não há nenhum dente no espaço deixado no sorriso. “Há alguns dentes, onde o dente decíduo ("de leite") não caiu, e não há o germe do dente permanente”, explica Diego. “Isso deve ser acompanhado de perto pelo cirurgião dentista, para ver a melhor abordagem”. As soluções mais comuns são o acompanhamento odontológico, tratamentos ortodônticos ou implantes.

Tratamentos: veja quais são as soluções para os dentes presos

Você se identificou com essa situação? Para buscar o melhor tratamento, o ideal é se consultar com um profissional. “Devemos avaliar cada caso, mas normalmente quando a retenção é prolongada é aconselhável uma consulta de interação entre ortodontista e cirurgião bucomaxilofacial, com exame tomográfico, a fim de verificarmos a melhor abordagem”, diz Diego. No caso dos sisos, por exemplo, a solução mais comum é a extração, mas tratamentos ortodônticos também pode ser utilizados para outros dentes.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Diego Limoeiro - Cirurgião bucomaxilofacial / Implantodontista Pós-graduado em Cirurgia da ATM Especialista em DTM e Dor orofacial
Rio de Janeiro - RJ
CRO-RJ: 31146