Os dentes inclusos são caracterizados por não terem erupcionado, ou seja, ainda estão debaixo da gengiva. “Muitas vezes, são intraósseos, ou seja, estão completamente dentro do osso, ou algumas vezes só abaixo da gengiva”, comenta o dentista Augusto Pary. Quando estes continuam inclusos, passam a ser denominados como impactados, pois existem alguma obstrução mecânica. E então, quais problemas esses dentes que não erupcionaram podem causar? Veja as explicações do especialista sobre esses casos.

Saiba qual problema os dentes inclusos pode causar

Existem dentes que não conseguem erupcionar da gengiva, podendo ser classificados como inclusos ou semi-inclusos. Esse quadro acontece comumente com os sisos. Em decorrência disto, pode surgir casos de pericoronarite, um tipo de infecção que se dá em volta da coroa do dente. “Pode acontecer em outros dentes, mas é mais comum nos sisos, porque a pessoa não consegue higienizá-lo bem, visto que muitas vezes fica só uma pontinha do dente aparecendo”, explica o profissional. Dessa maneira, os restos de alimento acabam acumulando bactérias, que resultam na inflamação da gengiva e até uma infecção.

Dentes inclusos podem causas cistos e até tumores

É possível destacar o quadro em que o dente incluso causa a reabsorção na raiz do adjacente. “Muitas vezes, ele tem a força de erupção, mas não consegue erupcionar por falta de espaço, e acaba causando uma reabsorção no dente vizinho”, esclarece Augusto. Outra possibilidade é a formação de algum cisto que pode deslocar um dente vizinho e até destruir o osso.

Este cisto surge na região do capuz coronário, responsável por proteger a coroa do dente enquanto está dentro do osso. A formação de tumores também é possível, podendo ser bem agressivo. “Outro problema discutível é que o dente incluso, na tentativa de erupcionar, pode também forçar os dentes vizinhos e causar um apinhamento, vulgarmente conhecido como dentes encavalados”, comenta o dentista.

O que fazer com dentes inclusos?

Assim como é destacado pelo especialista, a solução principal é através da prevenção. “Se tratando dos sisos, por exemplo, como eles costumam dar muitos problemas a longo prazo, é certo que a remoção deles (sisos inclusos) deva ser feita”, exemplifica ele. Vale destacar que cada caso deve ser analisado pelo dentista para encontrar a melhor solução, como a extração, para evitar problemas futuros.
Há o exemplo também de um dente canino incluso. “Ele pode ser muito importante para dentição, então, se descoberto em uma idade precoce, normalmente é feito um tratamento ortodôntico para tentar puxá-lo para o lugar dele, chamado Tracionamento Ortodôntico”, explica o profissional. Assim como este, dentes com funções importantes na dentição, se estiverem inclusos, podem ser tracionados.