Hoje em dia, ter dentes espaçados já não é mais visto por todo mundo como um problema estético. Muita gente considera o espacinho entre os dentes até mesmo um charme, que torna o sorriso especial. No entanto, é preciso ter atenção não só com a beleza mas também no que diz respeito à saúde bucal, pois esse quadro pode trazer alguns prejuízos nesse sentido. Entenda quais fatores provocam essa situação e como é possível corrigi-la, com explicação da dentista Beatriz Bussab!

O que são dentes espaçados? Qualquer pessoa pode ter esse quadro?

Os dentes espaçados, ou seja, aqueles sem ponto de contato, são chamados de diastemas. Segundo a profissional, a principal causa desse espaçamento entre os dentes é a relação entre o tamanho da maxila, ou mandíbula, e o tamanho dos dentes. “A falta de alguns dentes, chamada anodontia, também podem causar essa má distribuição”, afirma ela. Além disso, quem tem os freios labiais espessos, aquela dobra na parte interna do lábio superior, também pode acabar desenvolvendo o diastema, principalmente nos dentes incisivos.

Ter os dentes espaçados pode trazer prejuízos para a saúde bucal

Apesar de não ser mais considerado um problema estético, os profissionais alertam que o diastema é perigoso para a saúde do sorriso. “Eles podem prejudicar a saúde bucal, pois facilitam o acúmulo de alimentos entre os dentes”, esclarece a profissional. Isso pode levar, entre outros problemas, à inflamação da gengiva, formação de cálculo, e até mesmo se transformar em uma doença periodontal.

“A causa do diastema é multifatorial”, afirma a dentista. O crescimento da maxila e mandíbula exacerbado pode ser uma delas, e ocorre na infância, entre os 5 e 7 anos de idade. Por isso é essencial levá-los desde cedo para consultas regulares com o dentista. “Esse espaço também pode ser causado por perda de dentes, falta de dentes, freio labial espessos, entre outras causas”, lembra.

Como é possível corrigir o diastema?

A correção desse quadro vai depender primeiramente do motivo pelo qual se desenvolveu o espaçamento. “Os dentes espaçados devem ser corrigidos de acordo com o diagnóstico da causa feito pelo dentista, por exemplo, se a causa for pela disposição dos dentes, o tratamento deve se basear pelo uso de aparelhos ortodônticos”, afirma Beatriz.

“O paciente com diastema deve caprichar no uso do fio dental e da higienização, devido à facilidade do acúmulo de alimentos entre os dentes”, recomenda ela. Além disso, é essencial procurar um dentista que irá avaliar melhor o seu caso e orientar sobre o que deve ser feito.

Este artigo tem a contribuição do especialista:

Beatriz Bussab - Cirurgiã-dentista

Osasco - SP

CRO-SP 125369