Quando se fala de dentes do siso, muitas dúvidas permeiam a cabeça das pessoas. Afinal, o que são? Para que servem? E por que só algumas pessoas são “presenteadas” com seu nascimento? Essas questões são apenas algumas das perguntas que muitos pacientes fazem ao seu dentista quando os terceiros molares começam a dar as caras. O Sorrisologia conversou com o cirurgião bucomaxilofacial Diego Limoeiro para esclarecer os principais pontos sobre o assunto. Confira abaixo!

1. O que são os dentes do siso?

Os sisos costumam aparecer no início da fase adulta, mas eles não seguem exatamente uma regra para isso, podendo surgir tanto na infância quanto anos depois. Porém, hoje em dia, é bastante comum encontrar pessoas que não possuam os tais dentes, ou que até tenham um ou dois, mas não todos. Isso acontece porque os famosos dentes do juízo estão entrando aos poucos em um processo de extinção, já que atualmente não há tanta necessidade para sua existência - o que pode ser facilmente observado se pararmos para analisar a formação da arcada dentária nos dias atuais, que se adaptou de tal forma que não sobra mais espaço para os sisos em nossas bocas.

1.1. O nascimento dos sisos

“Em muitas pessoas, eles não nascem adequadamente. Nestes casos avaliamos a necessidade de sua remoção, principalmente em pessoas mais jovens”, conta o especialista. Ele também orienta que seja feita uma radiografia quando o paciente está com cerca de 17-18 anos, época em que os dentes começam a nascer, pois dessa forma é possível verificar se há indícios dos sisos e suas respectivas posições.

1.2. Qual a função dos sisos ?

Como os sisos muitas vezes não nascem da forma correta - e às vezes até não nascem -, eles não possuem mais a mesma função primordial (de mastigação) que tinham antigamente. Logo, esse grupo de dentes passou a ser considerado, de certa forma, inútil, o que explica o processo de extinção que ele vem sofrendo nos últimos tempos.

1.3. Onde os sisos se localizam na arcada dentária?

Quanto à sua localização, os dentes sisos são os últimos dentes da arcada permanente, e por isso também são denominados terceiros molares. “Temos normalmente 4 sisos, 2 na arcada superior, e 2 na arcada inferior”, indica Diego.

1.4 Como o posicionamento dos dentes pode influenciar?

Segundo o dentista, o segundo molar pode ser um obstáculo para a erupção do siso, mas o posicionamento dos outros dentes não influencia diretamente nesse processo. No entanto, o profissional alerta que é importante ficar atento às diversas posições que os sisos podem assumir quando começam a nascer, já que dependendo de como eles estejam posicionados, o processo cirúrgico pode ser mais delicado. Quando acontece um caso como esse, Diego explica que às vezes se torna necessário fazer a remoção de estruturas ósseas, ou até mesmo partir o dente para posteriormente retirá-lo, pedaço por pedaço.

2. Extração dos sisos

Quem sente os sisos nascendo inevitavelmente já pensa na hipótese de extração e em todo o processo cirúrgico que vem acompanhado, como se isso fosse uma coisa 100% certa de acontecer. Contudo, o especialista esclarece que nem sempre é necessário realizar o procedimento, embora muitas pessoas façam essa escolha. Quer entender o motivo para isso? É só acompanhar abaixo.

2.1 Em quais casos os sisos precisam ser extraídos?

Como nem sempre é necessário recorrer a procedimentos cirúrgicos, o ideal é que o paciente sempre verifique com um especialista qual a solução mais apropriada para o seu caso. “Hoje em dia damos preferência avaliando a probabilidade de dar algum problema, principalmente levando em consideração a idade do paciente. Portanto, quando o paciente é jovem e o dente não nasceu adequadamente, optamos pela extração”, explica Diego.

2.2 Por que realizar a cirurgia?

Engana-se quem acha que fugir da cirurgia é a melhor opção. Por mais que nem sempre o quadro clínico do paciente exija a retirada dos sisos, na maioria dos casos a indicação de extração é quase certa. Quando a orientação é para retirada, a dica é deixar o medo de lado e enfrentar a situação, pois manter os dentinhos podem trazer inúmeras consequências que afetarão a saúde bucal. Quer saber como a cirurgia pode te beneficiar? O dentista enumera alguns motivos: “Podem ser evitados quadros infecciosos, cistos, tumores, alteração de posição de outros dentes na arcada, prevenção de cáries em dentes adjacentes, prevenção de dor.”

2.3 É possível extrair os sisos durante o tratamento ortodôntico?

Quando se coloca o aparelho ortodôntico, tudo que o paciente menos quer é que mexam ainda mais em sua boca. Contudo, com o nascimento dos sisos, a probabilidade de que se indique algum tipo de intervenção é alta. Embora muitos questionem se o ideal não é esperar o fim do tratamento para que se possa enfim pensar na extração dos sisos, o dentista garante que não há necessidade para espera e acrescenta: “Em muitos casos, inclusive, removemos os sisos antes que seja retirado o aparelho ao fim da ortodontia.”

2.4 Que cuidados tomar após a extração?

Como em qualquer outra cirurgia, quando a extração dos sisos se torna uma realidade, é essencial que o paciente tome certas precauções para que a recuperação seja a melhor possível. “Os cuidados são basicamente os mesmos de outras extrações: evitar esforço físico, bochechos regulares, fazer compressas de gelo por 48 horas, seguir a medicação prescrita, evitar abaixar a cabeça e alimentação com comidas mais frias.”
Além disso, o profissional também orienta que é importante identificar se o procedimento será realizado por um cirurgião bucomaxilofacial, já que esta é a especialidade que saberá lidar com possíveis intercorrências.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Diego Limoeiro - Cirurgião bucomaxilofacial / Implantodontista Pós-graduado em Cirurgia da ATM Especialista em DTM e Dor orofacial
Rio de Janeiro - RJ
CRO-RJ: 31146