Você lembra de quando era criança e seu primeiro dentinho de leite caiu? Essa fase é muito importante e merece ter o acompanhamento dos pais de perto. “Estar junto nesse processo é fundamental para transmitir segurança necessária para as grandes mudanças que estão por vir”, quem reforça é a dentista Andréia Dahdal. O Sorrisologia conversou com a profissional para esclarecer as principais dúvidas desse momento e dar dicas de como ajudar o pequeno com o dente de leite mole.

Quando os dentes de leite ficam moles?

Segundo a dentista, os primeiros dentes de leite começam a ficar moles próximo dos seis anos de idade, variando entre os casos. “Quando o dente permanente já está pronto para nascer, existe a reabsorção da raiz do dentinho de leite, que começa a ganhar maior mobilidade até soltar completamente da gengiva”, explica ela. A troca de dentes é uma etapa do processo fisiológico. Geralmente, os primeiros a cair são os incisivos inferiores. “É uma transição a ser acompanhada de perto pelos pais, que devem estar preparados para administrar a confusão de sensações despertadas nas crianças”, completa Andréia.

É preciso levar o pequeno ao dentista?

Desde pequeno, a criança deve começar a frequentar o consultório do odontopediatra. Assim, nos casos em que já acontece as visitas periódicas, no momento em que o dente de leite cair não é preciso levá-lo ao profissional. Se a criança, contudo, estiver com algum desconforto por conta do dente mole é importante consultar o dentista. “Casos em que não existe um acompanhamento regular, uma avaliação odontológica é muito bem-vinda para checar as condições de saúde bucal, desenvolvimento das arcadas, postura de língua, além de reforçar os bons hábitos de higiene e cuidados com os dentes permanentes que estão por nascer”, orienta a dentista.

O que é o correto: deixar o dente cair ou arrancá-lo?

Essa dúvida é muito comum na maioria dos pais. Às vezes, o dente já está por uma pontinha de soltar e, assim, logo os responsáveis pensam que é melhor tentar puxar logo para que a criança possa voltar a comer com mais tranquilidade. Contudo, Andréia reforça que o mais indicado é deixar o dente cair naturalmente. Já em casos mais complicados, o dentista pode ajudar. “Se o dentinho mole está atrapalhando na mastigação, gerando dor e desconforto, ou até se o dente permanente já apontou e outro está resistindo firme e forte”, exemplifica ela. Dessa maneira, com a avaliação correta, é possível até mesmo evitar prejuízos ortodônticos para o sorriso, como quando o dente permanente nasce no local errado devido o de leite não ter caído.

Quais são os principais cuidados com o dente de leite mole?

É importante destacar que não se deve forçar para que o dente de leite caia. Quando ele já estiver bem mole é possível estimulá-lo a sair naturalmente. Balançar de um lado para o outro ou comer alimentos rígidos para incentivar a mastigação, como maçã e cenoura, são dicas para essa etapa. “No momento em que já estiver desprendendo da gengiva, os pais podem ajudar, puxando delicadamente com a ajuda de uma gaze”, orienta a profissional.

Faça a ação com cuidado para não machucar ou traumatizar o pequeno. No caso de sangramentos, enrole uma gaze e peça para a criança morder, comprimindo a gengiva. Repita o processo até que a gaze saia limpa. Além disso, aproveite esse processo junto com o filho. “Vale contar história, chamar a fada do dente ou soltar a imaginação, para que seja um processo leve, cheio de motivos para relembrar e sorrir!”, indica a profissional.