A limpeza da cavidade bucal não deve ser deixada em segundo plano, principalmente após as principais refeições. Isto porque, quando os dentes e gengiva não são higienizados, começa a acontecer o acúmulo de placa bacteriana. E, se esta também não é retirada, fica calcificada e dá origem ao tártaro. Esse quadro só é possível ser solucionado no consultório do dentista, pois já indica um estágio mais complicado de doença bucais. Será que esse dente deve ser extraído? Entenda mais sobre o assunto com as explicações do profissional Edgard de Mello Fonseca.

Conheça os perigos que o tártaro traz para a saúde bucal

Com a ajuda da escovação correta e uso do fio dental, a placa bacteriana consegue ser efetivamente removida dos seus dentes e gengiva. No entanto, quando essa etapa de limpeza não é cumprida, sua saúde bucal fica comprometida. Um dos possíveis problemas é o aparecimento do tártaro. Este é caracterizado por ser extremamente áspero e poroso, além de facilitar a adesão de bactérias. “Assim, o tártaro está diretamente relacionado à ocorrência de inflamação gengival (gengivite), caracterizada pelo sangramento durante a escovação e, até mesmo, espontâneo”, explica o dentista.

O dente com tártaro corre o risco de ser extraído?

Como é ressaltado pelo especialista, o tártaro se torna uma esponja embebida por toxinas bacterianas. E isto não é um bom sinal para o bem-estar da sua saúde bucal. Quando não é tratado, o quadro pode resultar em gengivite e, posteriormente, em periodontite. Essa doença é ainda mais grave e acomete os tecidos de suporte do seu sorriso. “Com o tempo, os dentes podem apresentar mobilidade e, em casos extremos, serem perdidos”, alerta Edgard. Para escapar dessa possibilidade, um comportamento ideal é manter as visitas regulares ao dentista e, claro, não deixar de higienizar toda a cavidade oral diariamente.

Como acabar com o tártaro nos dentes?

Após calcificado, o tártaro só pode ser retirado pelo profissional, através da técnica de raspagem. Essa conduta acontece nos quadros em estágio inicial. Para aqueles pacientes que já estão com um comprometimento maior, como os casos de periodontite, são encaminhados para outros tratamentos. O dentista destaca que o primeiro passo é tratar o quadro periodontal, para que outros dentes não sejam perdidos. “Uma vez controlada a doença, pode-se estudar a viabilidade de reposição dos dentes perdidos, através de implantes osseointegráveis”, comenta ele. Além disso, tenha atenção nos momentos de higiene bucal, utilizando corretamente os itens e, assim, se prevenindo de casos como estes.