Você morre de medo de ficar com gengivite. Sabemos que é uma doença inflamatória bem comum e que atinge a maioria da população em todo mundo. Por isso, você faz questão de praticar uma boa higiene bucal todos os dias após as principais refeições. Realmente é uma atitude muito bem recomendada pelos dentistas e eficaz para evitar o problema, mas será que esse é o suficiente para prevenir e tratar a doença gengival? Vamos tirar essa dúvida com a periodontista Michele Caldas.

Só a limpeza resolve a gengivite?

Por mais que a gengivite esteja relacionada a diferentes fatores, sua maior causa é o acúmulo de bactérias nos dentes. Desta forma, se você perceber a inflamação logo no início, é possível tratá-la apenas com medidas simples, como a higiene bucal. “Uma correta escovação dental associada ao uso de fio dental promoverá a eliminação das bactérias aderidas às superfícies dentais, restabelecendo-se então um quadro de saúde bucal e consequentemente de saúde geral”, garante a dentista.

No entanto, há os casos mais graves da doença, que muitas pessoas só percebem após muito tempo. Então, além da limpeza, uma análise deve ser feita pelo dentista para descobrir outras possíveis causas, além da presença de bactérias. “Tanto nos casos iniciais quanto nos casos mais graves, a gengivite, uma vez tratada, e sempre com a orientação e supervisão do profissional, irá desaparecer sem deixar, na maioria das vezes, qualquer sequela”. Viu só? Não é só com a higiene que se trata o problema, outras medidas odontológicas também são necessárias.

Fique de olho nos primeiros sinais de inflamação

Para descobrir o problema precocemente e resolvê-lo da forma mais tranquila, é importante observar a sua gengiva. “Se você reparar que ela está avermelhada e inchada, este pode ser um sinal importante de gengivite”, atenta a especialista. Outro sinal é surgir um sangramento ao escovar os dentes ao mastigar algum alimento mais rígido. Não ignore os sinais e procure um dentista para tratar a doença o quanto antes. .

Evite os fatores que causam a doença

Você também pode fazer o que os dentistas mais indicam: prevenir a gengivite. Michele conta que a maior causa da doença é a presença de milhares de micro-organismos na boca. "Uma vez que essas bactérias permanecem sobre as superfícies dos dentes, sobre a língua e as mucosas bucais, inicia-se o processo de inflamação gengival, ocorrendo então sangramento da gengiva e em alguns casos mais graves os pacientes podem sentir dor, mal-estar e até febre”, atenta a profissional.

Outros fatores relacionados à gengivite são irritação causada por uma escovação agressiva, alguns medicamentos que reduzem a produção de saliva ou ainda fatores relacionados a uma pobre nutrição, principalmente de cálcio e vitaminas. Além do mais, algumas alterações hormonais podem estar ligadas à inflamação. Por isso, pratique sempre uma boa higiene bucal com todos os itens do seu kit, mantenha uma alimentação saudável sem excesso de doces, mas com bastante legumes, verduras e frutas, e não deixe de ir regularmente ao dentista para limpeza e manutenção do seu sorriso.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Michele Caldas - Especialista em Periodontia e em Implantodontia
Rio de Janeiro - RJ
CRO-RJ: 28587