Por um acaso você tem reparado que seu filho está com um cheirinho ruim na boca e mesmo após a higiene bucal esse odor não passa? Isso não é nada bom. O odor desagradável é um quadro que, além de incomodar o paciente, pode interferir na sua convivência social. Nesses casos, é possível que seu pequeno esteja com halitose infantil, mais conhecido como mau hálito. "Apesar de ser mais comum em pacientes adultos, existe a possibilidade de bebês e crianças terem esse problema", conta a odontopediatra Simone Rocha. Saiba o que fazer nessas situações seguindo as orientações da especialista.

Halitose não tem idade para surgir

Observar e orientar sobre os hábitos é um cuidado essencial durante a infância. Para completar, a atenção sobre a saúde deles é de suma importância. A profissional destaca que é importante os pais e responsáveis detectarem o problema do mau hálito de forma correta. "Não devemos confundir a halitose infantil com o mau hálito que pode acontecer na criança ao se levantar pela manhã e que se deve à falta de saliva na boca durante o sono noturno". Mas, na dúvida, sempre vale aquela consulta com o odontopediatra para acabar com a preocupação.

As causas do mau hálito

Existem muitas causas que podem definir o mau hálito e muitas delas estão ligadas diretamente à parte odontológica, como uma má higiene bucal ou cáries. Mas o problema pode vir de outras formas. "Crianças que respiram pela boca ou se hidratam pouco tem diminuição do fluxo salivar (boca seca), que no caso aumentam as chances de desenvolverem o odor desagradável". A odontopediatra também afirma que inflamações nas vias respiratórias, como sinusite e rinite, refluxo gastro-esofágico ou diabetes podem ser reflexos de uma halitose.

Sentiu o problema? Leve a criança ao odontopediatra

Como a halitose pode significar muitos problemas dentro e fora da nossa boca, a especialista atenta que os responsáveis precisam tomar uma atitude assim que sentirem os sinais iniciais. "Em primeiro lugar, os pais devem levar a criança em uma consulta com um odontopediatra que através de exame clínico poderá descartar todas as causas de origem bucal".

Bons hábitos bucais podem acabar com esse cheiro

Existem formas simples de dar um fim nesse mau odor. "Uma visita ao odontopediatra e a adoção de hábitos higiênicos adequados resolverão o problema, porém se o problema estiver sendo causado por outra desordem o paciente deverá ser encaminhado para um médico", finaliza. É importante lembrar que a halitose sempre ocorre devido à presença de bactérias e por este motivo deve ser tratada.

Fio dental é o amigo de qualquer sorriso

Para evitar a formação de placa bacteriana e, consequentemente, o surgimento do mau hálito, a criança deve fazer uso do fio dental. Praticando, pelo menos, uma vez por dia, com movimentos de esquerda e direita e o acompanhamento dos pais, é possível manter o sorriso do seu pequeno sempre refrescante. Não dê espaço para que monstrinhos invisíveis tirem o prazer do seu filho de sorrir bastante.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Simone Rocha de Moraes Bastos - Odontopediatra
Cabo Frio - RJ
CRO-RJ: 40813