Qualquer ferida que surge no corpo já é um incômodo danado. Agora, quando essas lesões aparecem na boca o problema parece ser pior ainda, prejudicando ações como falar ou comer. As feridas bucais podem ter diversas causas. O termo é usado de forma genérica, já que representa um número abrangente de doenças.

Isso significa dizer que o tratamento dessas feridas dependem diretamente do seu diagnóstico. O Sorrisologia conversou com dois especialistas e membros do Núcleo de Atenção e Controle do Câncer Bucal (NACC) Dmitry Sarmento e Gustavo Agripino para explicar alguns dos possíveis tratamentos.

Alguns tratamentos

Úlceras traumáticas - Ao remover o agente traumático essas feridas podem regredir entre 7 e 14 dias. O tratamento é paliativo, utilizando analgésicos para diminuir a dor. “Anti-inflamatórios ou corticóides locais podem ser prescritos para acelerar o processo de cicatrização, assim como a laserterapia”, acrescentam os professores.

Aftas - Um dos problemas mais comuns, as desconfortáveis feridas costumam regredir espontaneamente entre 7 e 14 dias, porém, os especialistas afirmam que é possível prescrever medicações tópicas como pomadas analgésicas e anti-inflamatórias, com o objetivo de diminuir a dor e acelerar a cura. “A laserterapia também é capaz de produzir um efeito analgésico e de reparo”.

Herpes simples - Essa infecção não tem cura, então novos episódios de úlceras podem surgir. O uso de medicamentos antivirais associados à laserterapia podem diminuir essa frequência, segundo os profissionais.

Pênfigo - A doença autoimune apresenta úlceras dolorosas. “É necessário um acompanhamento multidisciplinar, o médico deve ser procurado para avaliação geral do paciente”. As lesões orais podem ser controladas com o uso de corticóides.

Câncer bucal - O tratamento nesse caso só pode ser realizado pelo médico. A cirurgia pode ser junto com o procedimento de radioterapia ou quimioterapia. “O cirurgião-dentista é imprescindível no auxílio ao diagnóstico, controle da saúde bucal e das complicações oriundas do tratamento”, ressalvam.

Procure um especialista

É importante lembrar que a procura de um profissional é essencial nesse caso. Só ele poderá avaliar o melhor procedimento para tratar cada problema. “A automedicação oferece riscos ao paciente e pode piorar a condição dos mesmos”, advertem.

Existe forma de evitá-las?

Tomar cuidado com os traumas mecânicos mais comuns, como machucar alguma região da boca enquanto faz a escovação ou come algum alimento, é a forma mais rápida e fácil de evitar as feridas. “O mais importante seria evitar a evolução de problemas graves de saúde que podem ter início como pequenas feridas na boca e podem parecer problemas menores”, alertam. Ou seja, estar atento ao aparecimento dessas lesões e procurar um dentista imediatamente passa a ser primordial. “A forma mais eficaz de prevenção às patologias da boca resume-se no velho conselho: visite seu dentista regularmente”, finalizam.

- Prof. Dmitry Sarmento - Professor Processos Diagnósticos-UEPB – CRO/SP: 117992
- Prof. Gustavo Agripino – Professor Processos Diagnósticos-UEPB CRO/PB: 3042