Com o surgimento do coronavírus, é praticamente impossível evitar as informações sobre o combate às doenças virais. Altamente contagiosa, a COVID-19 despertou atenção quanto aos cuidados necessários para evitar a transmissão deste e outros vírus. Sabemos que, além do contato físico, a saliva também pode ser um fator para contágio das doenças virais, por isso, os dentistas podem (e devem!) adotar medidas como forma de prevenção. Para entender como isso deve ser feito, o Sorrisologia entrevistou a dentista Rhianna Barreto. Veja só!

As doenças virais podem ser transmitidas pela saliva?

Segundo a profissional, todas as doenças virais podem ser transmitidas pela saliva e fluidos orais. Por isso, ainda que o fluido proporcione uma série de benefícios para a saúde bucal, como proteger a mucosa oral e prevenir os dentes de doenças, ele também pode abrigar milhões de bactérias. Dessa forma, a região bucal passa a ser o reservatório perfeito para outros microrganismos, como a COVID-19.

Dentistas também podem ajudar no combate de doenças virais

Quando se trata de doenças virais, qualquer pessoa pode ser um alvo fácil. Por isso, cabe a todos, inclusive médicos e dentistas, tomar medidas e cuidados diários para se proteger. “Podemos ajudar reduzindo os meios de contaminação bucal e orientando a população quanto aos hábitos de higiene oral”, explica a dentista.

Nesse caso, é recomendado que os profissionais de saúde utilizem gorros, máscaras cirúrgicas, luvas, avental não estéril de gramatura adequada, protetores de face e óculos de proteção como precaução durante os procedimentos. Além disso, lavar as mãos frequentemente com sabonete por pelo menos 20 segundos é fundamental para prevenir o combate de doenças virais dentro dos consultórios.

Higiene bucal é uma grande aliada para evitar doenças virais

Além dos cuidados em lavar as mãos e evitar aglomerações, a dentista Rhianna explica que a higiene bucal é fundamental para minimizar o contágio de doenças virais, como a COVID-19. “Manter uma boa higiene oral, com escovação, uso do fio dental e bochechos regulares evita essas patologias”, conta. A profissional também ressalta a importância de consultar um dentista quando houver qualquer sinal de alteração na cavidade oral. “Em casos de incômodos, como cáries e sangramento gengival, o paciente não deve protelar. É preciso procurar o quanto antes o dentista para tratar e evitar que a doença evolua para um quadro mais grave”, completa.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Rhianna Barreto - Cirurgiã-Dentista
Rio de Janeiro - RJ
CRO-RJ:37448