“A digestão começa no estômago”. Se você já pensou dessa forma, estava muito errado! Esse processo, na verdade, tem início na boca, com a mastigação, e é muito importante para o organismo digerir as comidas propriamente. “Se o alimento não for triturado adequadamente, pode causar uma sobrecarga ao estômago”, explica o cirurgião buco-maxilo-facial Alessandro Silva. Pensando nisso, muitas pessoas se questionam se o tempo de mastigar pode influenciar na saúde bucal ou na saúde geral. Portanto, suas dúvidas acabaram! Junto do profissional, esclarecemos os principais aspectos do assunto.

A mastigação correta deve ser feita em ambos os lados

Não é a toa que temos quase 30 dentes. Cada componente na arcada dentária tem sua função durante a mastigação. Os quatro da frente, por exemplo, são os incisivos, responsáveis por cortar os alimentos. Há ainda os pré-molares e molares, que trituram a comida e pulverizam o bolo alimentar. Por isso, a mastigação adequada deve usar todas essas diferentes partes dentárias. “Deve ser feita de forma homogênea e de ambos os lados para que a articulação atue de forma suave. Tudo em "slow motion" com baixa carga distribuída em ambos os dentes, o que é facilitado quando existe uma mordida estável”, explica Alessandro.

Como o tempo da mastigação influencia na saúde bucal?

Comer rápido demais pode ser prejudicial à digestão e ao equilíbrio do corpo. Isso acontece porque não há o tempo necessário para “avisar” ao cérebro que alimentos estão sendo ingeridos. Dessa forma, o organismo deixa de produzir algumas substâncias importantes, capazes de receber os alimentos adequadamente. Por isso, a mastigação deve ser lenta. “O correto é comer pequenas porções e aguardar um pouco para obter a saciedade, dando tempo ao cérebro”, completa o profissional.

Já em relação à saúde bucal, mastigar com pressa pode acabar machucando as mucosas da boca ou a gengiva. Quando isso está acontecendo, as pessoas não costumam sentir apropriadamente o alimento que, por vezes, pode danificar essa região. Alimentos pontiagudos, como abacaxi, batata palha e casquinhas de pão francês estão nessa lista.

Alguns problemas bucais podem aparecer quando a mastigação está inadequada

Mastigar de forma diferente da recomendada pelos dentistas geralmente está relacionada a mordidas inadequadas. Esses são casos de má oclusão em que a arcada dentária superior ou inferior não segue a posição dentro da normalidade. Podendo a superior estar muito para trás em comparação à inferior, por exemplo. Dessa forma, o paciente pode sim experienciar alguns problemas bucais. “Dor e limitação bucal, retração gengival, exposição de raiz do dente, quebra de dente, morder bochecha e dores na ATM e dor de cabeça também”, lista ele.

O tratamento certo para a mastigação certa

Segundo Alessandro, o tratamento para mastigação inadequadas é o mesmo que para a dor de cabeça. “Sempre quando o problema de dor de cabeça/mastigação tem origem odontológica, o tratamento conservador é o mesmo e o cirúrgico também”, explica. Sendo assim, o tratamento busca amenizar as dores e restabelecer a mordida correta. Se necessário, o paciente precisa recorrer à cirurgia. Apenas um profissional capacitado consegue designar a melhor forma de cuidar do problema.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Alessandro Silva - Cirurgião buco-maxilo-facial
São Paulo - SP
CRO: 55444