A estomatite aftosa, em outras palavras, a afta, causa pequenas feridas superficiais na boca. São pequenas bolinhas brancas que originam uma ou várias úlceras. Dolorosas, elas incomodam muito na hora de comer e beber. Até hoje, os dentistas não conseguem apontar a real causa desse problema bucal, mas, com a higiene bucal, é possível diminuir a ocorrência dessas feridas que muito incomodam.

A estomatologista Liana França indica três fatores comuns que podem provocar estomatite aftosa: alimentos ácidos, estresse e trauma. Além disso, ela comenta o diagnóstico e os tratamentos necessários para reverter esse quadro. Confira para entender como sua saúde bucal pode interferir na doença.

Como surge a afta?

A estomatite aftosa pode aparecer sem nenhum motivo algum. As causas principais são hormonais ou hereditárias, além da presença de bebidas ou alimentos ácidos que atacam a mucosa. A afta acontece devido à formação de úlceras. Elas aparecem no tecido que cobre os lábios e a boca. Assim, a vascularização aumenta e as fibras nervosas ficam expostas, dando a sensação de dor e ardência.

Identificando a estomatite aftosa

Normalmente, o próprio paciente consegue fazer a identificação da doença a partir dos sintomas principais da afta. Notando úlceras brancas de formato arredondado, a suspeita já pode ser de estomatite aftosa. Localizadas principalmente na mucosa da bochecha, do lábio ou embaixo da língua, elas dão uma sensação de incômodo.

A identificação parece ser bem fácil, entretanto, para o diagnóstico da doença, somente o dentista consegue fazê-lo, já que várias doenças, até algumas mais complicadas, podem se manifestar a partir das úlceras. “Mas uma boa dica na identificação da estomatite aftosa é a presença de recorrência, bem como um curso de no máximo 15 dias até que se cure totalmente”, explica.

Higiene bucal x Estomatite aftosa

Depois de diagnosticada, a afta deve ser combatida com a higiene bucal apropriada. Enxaguantes bucais sem álcool, pomadas e medicamentos ajudam nesse processo. Liana indica a importância da higiene bucal, já que as aftas podem evoluir para quadros de infecções no local. Mas as orientações corretas só poderão ser dadas por um profissional especialista em estomatologia depois de analisar o caso. Jamais se automedique ou use tratamento caseiros sem falar com um profissional da área.

Aftas: como tratar?

O tratamento é voltado para diminuir as dores e a inflamação, além de acelerar a recuperação do tecido da boca. “Podem ser utilizados corticoides tópicos, anestésicos e o laser de baixa potência. O uso de moduladores do sistema imunológico pode ser indicado em alguns casos”, finaliza.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Liana França Araújo - Estomatologista e Mestre em Patologia Bucal
Niterói - RJ
CRO-RJ: 19174