Você sabe o que é o tratamento de canal? Às vezes, a odontologia age quase que de forma invisível, mas sempre muito importante! O canal resolve problemas que acometem a polpa dentária, uma das estruturas mais interiores do dente. Antigamente, antes do tratamento, os dentistas optavam por resolver qualquer problema na região extraindo o dente. Hoje, já há a possibilidade de salvar o sorriso do paciente, sem a necessidade de implantes e próteses. Mas, ainda assim, muitos pacientes se perguntam como fica o dente depois do tratamento de canal, já que não há nenhuma mudança na superfície dentária. Pensando nisso, conversamos com o especialista em cirurgia oral Ricardo Teixeira para tirar essa dúvida e saber quais cuidados o paciente deve ter agora.

O que é o tratamento de canal?

O tratamento de canal é recomendado sempre que o paciente sofre algum trauma na polpa dentária. A polpa é o tecido mais interior da raiz do dente, invisível aos nossos olhos, cheio de terminações nervosas. Por isso, sempre que o paciente reclama de dores profundas e persistentes, pode ser que algo tenha acometido a área, como a cárie ou algum trauma e fratura. O tratamento é fácil e, feito pela mão de um profissional, completamente seguro. Em um primeiro momento, o dentista precisa retirar a superfície dentária - a coroa - para ter acesso ao canal que leva à polpa. “Este canal é obturado com material apropriado, chamado guta percha, de maneira hermética em uma cimentação que deve ser densa e preencher todos os espaços”, comenta ele. Depois disso, pode ser necessário finalizar o tratamento com a instalação de pinos intrarradiculares que servem para reter o núcleo e sua restauração definitiva.

Como fica o dente depois do canal?

Esteticamente, depois do canal, não há muitas diferenças significativas, já que as principais mudanças foram feitas internamente. Apesar disso, quando a coroa é recolocada, podem-se notar pequenos desgastes. “O dente pode apresentar desde um desgaste mais conservador até um desgaste interno mais acentuado para a confecção de pino intracanal”, comenta o especialista. Em alguns casos, pode acontecer de a coloração do elemento mudar um pouco, tendo um leve escurecimento. Mas não há nada que a odontologia estética não resolva!

Depois do tratamento, o paciente também irá notar uma menor resistência do dente. “Quanto maior o desgaste interno de sua substância dura e sua mudança de geometria, menor será a resistência, sendo este elemento por definição um dente mais frágil que um dente saudável”, completa.

Cuidados depois do canal: a alimentação precisa mudar

Segundo o especialista, a principal recomendação é que o paciente siga todas as indicações do dentista, principalmente quanto à medicação. Mas um importante cuidado para depois do canal é com a alimentação. “Deve evitar ao máximo alimentos que transfiram grande carga oclusal ao elemento tratado ou de forma repentina ao dente, esses são alimentos muito duros, crocantes ou muito resistentes”, alerta ele. Não seguir essa indicação pode trazer problemas ao dente recuperado, como fissuras e novas fraturas.

Como deve ser feita a higienização?

A higienização é a mesma! “Não existe diferença na higiene entre um dente com canal tratado e um dente saudável se esta for realizada de forma ideal. Apenas deve-se estar atento ao fato de que o dente do canal tratado pode ter uma possível restauração protética, mas que, se bem executada, sua higiene com fio dental e escova são suficientes”, alerta ele. Um último cuidado é quanto ao tempo de retorno do dentista. “O dente pode sofrer alterações de cor, revelar o aparecimento de trincas ou fissuras, ou mesmo alterações periapicais que sugiram uma nova intervenção seja por via endodôntica ou para endodôntico”, comenta ele. Por isso, é importante ter um acompanhamento profissional, enquanto o dente ainda se recupera.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Ricardo Gouvêa Teixeira - Especialista em cirurgia oral menor e implantodontia
Rio de Janeiro, RJ
CRO-RJ: 29409