Língua amarela, rosa ou vermelha? Lisinha, com pequenas bolas ou áspera? Como deve ser uma língua saudável? A língua é o órgão muscular responsável por dar as sensações do paladar, ajudar a engolir alimentos e formar os fonemas da fala. Ela é essencialmente rosa e lisa. Mas, existem mudanças na aparência da língua que são consideradas normais e outras que podem indicar doenças do corpo, até mesmo as mais sérias, como o câncer. A estomatologista Dulce Cabelho tira todas as dúvidas sobre os problemas que podem aparecer na língua e quais são os cuidados de higiene que se deve ter.

Por que a língua é importante?

Com relação à saúde bucal, a língua é importante por conta do paladar e da manutenção do bom hálito, segundo Dulce. Esse órgão permite que se sinta os diferentes sabores dos alimentos, como amargo, azedo, salgado e doce. Com isso, ele evita a ingestão indesejada de alimentos podres que podem prejudicar o organismo. Além disso, o mau hálito pode ser diretamente relacionado à falta de limpeza da língua. Ela apresenta as características perfeitas para a proliferação de bactérias e fungos. Portanto, é bom seguir os cuidados de higiene.

Veja como é uma língua saudável

Tiramos a dúvida com a profissional e ela responde. “Clinicamente, a língua saudável deve ser de coloração rosada e limpa”. A coloração da língua apresenta diferentes significados, podendo variar entre branca, rosa, vermelha e amarela. Ela precisa ser lisa, sem muitas bolinhas. Apesar disso, a língua lisinha demais, sem nenhum sinal de marcas ou bolas, pode indicar uma deficiência de ferro e anemia.

O que as alterações na língua podem significar?

Mudanças nas características fundamentais da língua acontecem. “Existem alterações que são consideradas dentro da normalidade, algumas lesões podem ser extremamente benignas”, explica Dulce. Entretanto, há casos em que o organismo utiliza a língua para comunicar a presença de alguma doença, podendo apontar os mais diferentes problemas.

“Podem ser desde locais, relacionados à higiene e doenças associadas como doenças fúngicas, até alterações por doenças sistêmicas, como uso de medicamentos controlados, doenças autoimunes e pacientes submetidos a radio e quimioterapia”, diz a estomatologista. Em todos os casos, é preciso de um diagnóstico médico feito por um especialista. Se consultar apenas pela internet pode trazer respostas que variam entre extremos e pode ser bem perigoso. O importante é entender os possíveis quadros e sempre ir ao consultório para que o caso seja analisado.

Entenda os cuidados específicos da língua

“O correto em relação à manutenção da higiene é pelo menos uma escovação do dorso lingual diária”, recomenda Dulce. Não se esqueça também de escovar os dentes e passar o fio dental regularmente, para evitar a proliferação de bactérias indesejadas na boca. Mas, cada paciente deve ser individualmente examinado, já que algumas orientações podem mudar de caso a caso.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Dulce Helena Cabelho Passarelli - Estomatologia, Patologia Bucal e Laserterapia
São Paulo, SP
CRO-SP: 35856