Está muito enganado quem pensa que cárie só aparece em crianças. Com poucos fatores, adultos também pode desenvolver a doença. Tudo facilmente acontece com uma ingestão frequente de alimentos doces e ácidos. Para se livrar da doença, o melhor caminho é iniciar o tratamento logo quando as bactérias ainda estão se desenvolvendo. Mas, para isso, é preciso entender todo o processo de formação desses pequenos agentes. Você sabia que a cárie tem diferentes estágios? Segundo a odontologista Heloísa Crisóstomo até mesmo as manchas brancas podem indicar a que ponto o problema bucal já está desenvolvido. Entenda esse processo!

A cárie se desenvolve em algumas etapas

Para a cárie se desenvolver não é preciso de muito: uma dieta ácida e açucarada, não higienizar apropriadamente a boca e ter o microorganismo presente - o que todos têm. Se todos esses fatores existirem, é bem provável dos primeiros sinais começarem a aparecer. Aos poucos, o problema bucal pode ir se desenvolvendo em 3 principais etapas:

  1. Com o pH bucal ácido, as bactérias da cárie iniciam um processo de desmineralização dentária, deixando o esmalte mais fino e sensível;
  2. A partir daí, já é possível visualizar a presença da cárie pelo seu principal sintoma, a mancha branca. ”O dente começa a sofrer o processo carioso iniciando clinicamente com uma mancha branca e evoluindo para uma cavitação”, comenta ela.
  3. Em um estágio mais avançado, a presença da cárie já é facilmente notada, principalmente com as dores ao comer alimentos doces, mais um de seus sintomas.

Preste atenção às manchas brancas

As manchinhas brancas são o primeiro sinal aparente da cárie. Mas, mesmo depois disso, elas também podem indicar se a complicação está sendo controlada, ou não. A cárie se inicia com a mancha branca opaca, quase fosco. Se, nesse momento, o paciente consegue ir ao dentista e estabilizar o caso, as marcas começam a ficar brilhosa. Se isso não acontecer, o próximo sinal serão as cavidades. Essas são pequenas bolinhas marrons que ficam na superfície do dente, cavando até o interior dele. Primeiro, elas podem perfurar o esmalte dentário, a primeira proteção do dente, e depois a dentina, o que pode causar muita dor ao paciente. “Caso não seja tratada ainda nesses estágios, a cárie pode evoluir para lesão na polpa do dente, necessitando de um tratamento mais invasivo, como o tratamento endodôntico ou o canal”, alerta ela.

Tratamento e prevenção da cárie

O tratamento sempre vai variar de acordo com o momento de formação da cárie. Se o paciente procurar ajuda odontológica ainda no início do problema, ou seja, quando há a presença apenas das manchas brancas, o tratamento é feito com a remineralização das lesões, usando fluoreto. Se o problema já tiver evoluído, deve-se procurar pela restauração. “Remove-se todo o tecido cariado e fecha-se o local com material restaurador, como resina composta”, indica ela. Mas, verdade seja dita: o melhor tratamento para qualquer paciente é a prevenção! Nesse caso, isso pode ser bem fácil. “O paciente deve ter uma dieta equilibrada, higiene bucal satisfatória e visitas periódicas ao dentista”, finaliza.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Heloísa Crisóstomo - Odontologista com aperfeiçoamento em prótese e prótese sobre implante
CRO: DF-CD-8149