O dente siso é o dente que mais ouvimos falar e conhecemos bem. Mas você conhece todos os tipos de dentes? Quase não notamos, mas cada um dos elementos de nossa região bucal trabalha como parte de um todo. E os dentes são as peças-chave desse conjunto. Eles são classificados diferentemente porque cada um apresenta funções variadas. Incisivos, caninos, pré-molares e molares: vamos conhecê-los mais aprofundadamente? A especialista em prótese dentária Elis Regina nos contou mais sobre a função de cada um e como é o interior de um dente.

As partes que compõem um dente

Se não conseguimos olhar para o siso, imagine para o interior do dente! Dividido em coroa e raiz, é por aqui que fica o famoso esmalte ou a polpa. A coroa é a parte superior e visível do dente, já a raiz é a parte coberta do elemento, dentro do osso. Mas não para por aí. Esses dois são constituídos pelo esmalte, dentina e polpa.

O esmalte é a camada mais externa do elemento. “É o tecido mais duro e mineralizado de todo o corpo humano, mas pode ser danificado se os dentes não forem higienizados adequadamente”, alerta a profissional. A erosão dentária acontece bem nessa região! Logo abaixo dela fica a dentina. Essa é a camada responsável por dar aquela coloração amarelada e é ligada, por meio de prolongamento, à polpa. “A polpa é o tecido mole situado no centro do dente, onde se encontram o nervo e os vasos sangüíneos”, define ela. Assim, quando uma cárie atinge a dentina, ela consegue atravessá-la e chegar diretamente a essa área sensível, trazendo muita dor ao paciente.

A classificação e a função dos dentes

Cada dente da arcada dentária exerce uma função diferente na nossa digestão, deixando o alimento pronto para seguir ao interior do organismo. Ao todo são 32 dentes, contando com o nascimento dos 4 sisos. Eles são classificados em incisivos, caninos, pré-molares e molares.

Os incisivos são os quatro primeiros. Eles servem para cortar os alimentos. Os caninos possuem pontas agudas e afiadas e servem para rasgar os alimentos, de acordo com a especialista. Depois deles, são os dentes mais escondidos, mas não menos importantes. Os pré-molares ficam bem ao lado dos caninos. Eles apresentam duas cúspides, ou seja, pontas, que esmagam e moem a comida. Em seguida, os molares, situados lá no finalzinho da arcada. “Apresentam mais de duas cúspides que servem para triturar os alimentos”, acrescenta. É nesse último grupo que estão inseridos os dentes sisos, também chamados de terceiros molares.

As consequências de uma perda dentária

Como cada um exerce uma função diferente em um sistema maior, perdê-los significa prejudicar o funcionamento desse conjunto. “A falta de algum elemento prejudica a correta mastigação, pois o dente perdido têm sua função substituída por outro que não possuía a mesma”, explica ele. Quando isso acontece, pode acontecer de um dente ficar sobrecarregado, podendo trazer problemas bucais, como sensibilidade dentária, periodontite e ATM. Por isso, se esse for o caso, não se esqueça de consultar um especialista e investigar as possibilidades de fazer um implante ou usar próteses dentárias.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Elis Regina Almeida - Especialista em Prótese dentária
Rio de Janeiro - RJ
CRO-RJ: 40996