Muitos sonham com o sorriso perfeito, e logo associam essa ideia à de dentes brancos. Apesar de outros fatores influenciarem nisso, a verdade é que se livrar de manchinhas e conquistar o tão querido sorriso branquinho realmente faz um bem danado para a autoestima. Você provavelmente já ouviu falar sobre a técnica do clareamento dental, que te ajuda a chegar lá, mas será que você sabe como ela funciona? O Sorrisologia reuniu em uma única matéria as principais informações que você precisa saber sobre o tratamento antes de o fazer. Confira!

1. O que é clareamento dental?

Dentes manchados ou amarelados costumam ser um verdadeiro incômodo para quem sonha com um sorriso bem branquinho. Se esse for o seu caso, não há necessidade para maiores preocupações, viu? A técnica do clareamento dental já faz parte da realidade odontológica há um tempinho, e com ela ficou muito mais fácil alcançar o sorriso que tanto se deseja. Através do contato com agentes clareadores, é possível recuperar a cor original dos dentes, como conta o dentista William Kabach: "Esse procedimento consiste em utilizar produtos à base de peróxido de hidrogênio que, em contato com a superfície dental, tem a capacidade de quebrar as longas moléculas de pigmentos que se dissociam em moléculas menores e tornam o dente mais claro".

Inclusive, uma região frágil e que precisa ser muito bem protegida durante todo esse processo é a gengiva. “O profissional faz uma pequena limpeza na superfície dos dentes a serem clareados e protege a gengiva ao redor desses dentes, pois o gel é muito forte e se cair na gengiva pode queimá-la", explica o especialista em dentística Mauro Piragibe.

1.1 Quais os benefícios dessa técnica?

É inegável que, nos dias de hoje, grande parte das pessoas se preocupam bastante com as aparências. Mas nem tudo gira em torno de roupas de marca e acessórios luxuosos: um belo sorriso às vezes diz muito mais do que qualquer outra coisa. Logo, a estética bucal é um fator que influencia bastante a nossa vida: dentes branquinhos trazem de volta a confiança e elevam a autoestima em um piscar de olhos. Para quem tem problemas com o próprio sorriso devido à manchas ou dentes amarelados, o branqueamento pode ser a técnica que estava faltando para que não falte a vontade de sair sorrindo por aí.

1.2 Para quem ela é indicada?

Ter dentes branquinhos é o desejo de muita gente e, felizmente, não há muitas barreiras que impeçam qualquer um de conquistar isso. Como explica o especialista Vinícius Barçal, a maioria dos pacientes pode ser submetida ao clareamento dental, desde que toda a cavidade bucal esteja em um bom estado de saúde. Logo, as contraindicações normalmente são para pacientes que possuam problemas bucais como cáries, doenças periodontais e lesões dentárias. Além disso, no terço inicial e final da gravidez, é um procedimento que deve ser evitado. “Por ser um tratamento estético, é ideal que se faça fora do período de gestação”, indica o dentista Alexandre Moreira.

Outro ponto importante a ser destacado é que o clareamento dental, apesar de muitas vezes ser algo procurado pelos próprios pacientes, é um procedimento que deve ser indicado e acompanhado por um profissional da área.

1.3 O que esperar do resultado?

A grande maioria dos pacientes fica bastante satisfeito com o resultado, afinal, a sensação de dentes extremamente limpos e livres de manchas é impagável. Porém, há casos em que o efeito desejado pode não ser alcançado devido a pequenos detalhes na rotina do paciente. O consumo de cigarros e de alimentos com grandes concentrações de corante, como é o caso do café e do vinho, podem acabar manchando os dentes e prejudicando o processo do clareamento. Portanto, é importante seguir à risca as orientações médicas após o procedimento para que tudo saia conforme o planejado.

1.4 Alguns cuidados são necessários após o procedimento

Investir no tratamento só é válido se o paciente souber cuidar direitinho do seus dentes depois, e como em qualquer procedimento, algumas orientações são necessárias para manter o resultado do sorriso impecável. "Dentre os cuidados, recomendamos que o paciente continue restringindo ao máximo alimentos com corantes, principalmente os artificiais, o uso de café e o hábito de fumar", alerta Heloísa Crisóstomo. Além disso, os cuidados com a higiene bucal também são igualmente importantes para manter o efeito da técnica por mais tempo, como escovar os dentes adequadamente após as principais refeições e fazer um acompanhamento periódico com o cirurgião-dentista responsável para que a profilaxia seja realizada, removendo possíveis placas e tártaros da cavidade oral.

2. Tipos de clareamento dental

Se você está pensando em deixar seus dentes ainda mais branquinhos, é sempre bom ficar ligado em todos os detalhes, né? Até mesmo porque o resultado do tratamento vai depender do tipo de técnica que foi utilizada, e principalmente se ele chegou a ser concluído da maneira correta. "Muitos acham que é um procedimento rápido. Mas precisa de tempo para um clareamento eficaz e duradouro", garante o especialista em dentística Paulo Campos.

2.1 Interno x Externo

A diferença entre esses dois processos é que o clareamento interno costuma ser indicado para dentes que passaram por um tratamento de canal, segundo Paulo. Dessa forma, a substância clareadora é colocada dentro do dente pelo profissional. "Pode ser rápido, três a cinco consultas, quando a causa do escurecimento é uma hemorragia interna ou necrose da polpa; ou mais demorado, acima de 10 consultas, quando a causa é impregnação por iodo que alguns cimentos mais antigos para obturação de canal tinham na sua composição", explica.

Quanto ao externo, é quando a técnica é realizada por fora do dente. "Ele pode ser feito no consultório, aplicado pelo profissional, ou em casa realizado pelo paciente com auxílio de moldeiras nas quais se coloca o produto clareador", comentou.

2.2 Clareamento caseiro

Apesar de muita gente se deixar levar por métodos encontrados na internet sem orientação profissional alguma, é preciso tomar muito cuidado. Segundo William Kabbach, à utilização de produtos como bicarbonato de sódio ou água oxigenada, além de não serem nada eficientes, podem trazer sérios danos aos dentes e à gengiva. Hoje, existe certa variedade de produtos aprovados por especialistas que são indicados para realizar esse tipo de procedimento em casa. O mais comum é com o uso de moldeira e gel clareador. A moldeira é um dispositivo de silicone feito sob medida, de forma que se encaixa perfeitamente na arcada dentária do paciente. Nela, se aplica o gel clareador que vai entrar em contato com os dentes por um período que pode variar de 30 minutos à uma hora. Normalmente, o tratamento costuma durar cerca de três semanas. O passo a passo pode ajudar muito nessas horas, mas vale lembrar que o acompanhamento com um especialista é necessário e pode ajudar bastante na hora de tirar algumas dúvidas.

2.2 Clareamento no consultório

Há também a opção de realizar o procedimento no próprio consultório com um especialista. Nesse caso, o paciente ativa o gel clareador através de um laser ou de luz led, sendo necessárias pelo menos três sessões para que o clareamento seja feito. Apesar disso gerar dúvidas nos pacientes na hora de escolher qual a melhor opção, é preciso ter em mente que, na prática, não há diferença no resultado final. Além disso, Paulo Campos ressalta que ainda há uma terceira opção, que é através do laser terapêutico. Esta última pode reduzir as chances de reação inflamatória, e, consequentemente, traz menos sensibilidade dentária aos pacientes.

2.4 Combinação entre os dois tratamentos

Independente de qual técnica for indicada, a eficácia é inegável quando se atinge o resultado final. Mas vale lembrar que existe também uma terceira opção, onde é feita uma combinação entre o tratamento caseiro e o realizado em consultório médico. Segundo a dentista Kalina Diniz, essa combinação normalmente é indicada em casos onde o paciente procura mais rapidez no processo, ou quando o clareamento não está acontecendo conforme o previsto. Mas, independente disso, a especialista afirma que é um procedimento que tem resultado rápido e satisfatório.

3. Sensibilidade dentária e clareamento

Aquela dorzinha aguda ao consumir alimentos com temperaturas muito extremas é um dos sintomas da sensibilidade dentária, uma condição mais comum do que se pensa. Contudo, o que muitos não imaginam é que esse quadro pode ser uma consequência do clareamento dental. Como o processo para embranquecer os dentes é o reflexo de uma reação química de oxidação, o especialista em dentística Flávio Luposeli explica que essa reação causa uma desmineralização superficial do esmalte dentário, sendo um dos motivos para que a sensibilidade apareça.

3.1 Por que isso acontece?

Vários fatores podem estar associados à sensibilidade nos dentes, principalmente se essa condição já faz parte da vida do paciente há algum tempo. No entanto, quando se trata da sensibilidade causada pelo clareamento dental, é preciso levar em conta a interferência de elementos mais específicos. Os níveis de concentração do peróxido de hidrogênio presente no gel clareador e o tempo que esse gel fica em contato com a superfície dentária, por exemplo, podem influenciar bastante nesse caso. Além disso, quando o clareamento é feito em consultório odontológico, a aplicação de luz led ou laser também pode ser uma das causas para que surja um quadro de sensibilidade.

3.2 Como aliviar o incômodo após o clareamento

Quando o clareamento é a causa da sensibilidade, o gel regenerador é a melhor solução. “Basta adequar a concentração correta de gel clareador para cada caso e lançar a mão de gel regenerador diário, eliminando ou reduzindo consideravelmente a sensibilidade dentária”, orienta o ortodontista Djalma Faria.
O creme regenerador possui componentes à base de potássio, que são substâncias capazes de “cortar” a resposta dolorosa enviada ao cérebro. Além disso, é importante destacar que ele deve ser utilizado diariamente, caso contrário a sensibilidade pode retornar.

3.3 Cuidados com os dentes sensíveis

Um quadro de sensibilidade precisa de atenção e alguns cuidados, afinal ninguém quer os dentes doendo, não é mesmo? O odontólogo e especialista em estética Vinícius Barçal indica o que deve ser feito para contornar isso: evitar o consumo de alimentos e bebidas com temperaturas extremas e avaliar com o dentista a concentração do gel clareador, já que pacientes com histórico de sensibilidade dentária devem manter o tratamento com géis de baixa concentração. Além disso, o uso de creme dental apropriado para a limpeza bucal também é um fator importante.