Atire a primeira pedra quem nunca pensou, nem que por um segundinho só, em como os dentes ficariam se assumissem uma tonalidade mais clara? Na busca por um sorriso de Hollywood, muita gente já cogitou em realizar algum tipo de clareamento dental. Seja com ingredientes caseiros, moldeiras, ou até os kits comprados em farmácia, a verdade é que o desejo por dentes branquinhos é unanimidade. No entanto, com o avanço da tecnologia, foi possível desenvolver técnicas melhores para que o procedimento se torne mais seguro e eficiente, como o clareamento a laser. Embora ele só seja realizado em consultórios de profissionais capacitados, o clareamento dental a laser se tornou um dos mais buscados. Quem explica melhor sobre este procedimento é a odontologista Heloísa Crisóstomo, especialista em dentística.

O que é o clareamento dental a laser?

Esse clareamento dental a laser é realizado apenas em consultório e acontece através da aplicação de um ácido na superfície do dente, onde ocorre uma reação de oxidação e assim os corantes são liberados. Segundo Heloísa, o laser é um fator que muitos julgam potencializar o poder desses ácidos. No entanto, esses produtos possuem uma concentração maior do que os utilizados no clareamento caseiro, logo só podem ser manuseados pelo dentista.

Quantas sessões de clareamento são necessárias?

Heloísa explica que a quantidade de sessões varia de paciente para paciente. “Quanto mais pigmentado estiver o dente, podemos estender para até 4 sessões de 40 minutos. O que deve ser observado é se está acontecendo a liberação dos corantes. Pois se o dente ainda se mantém escuro, resistente ao clareamento, essa pode ser a cor natural dele e não reagir mais aos ácidos”, orienta. Neste caso, a odontologista recomenda ao paciente a procurar outras alternativas caso queira o seu dente com tonalidades ainda mais claras, podendo ser desde o uso de facetas à lente de contato dental. Converse com seu dentista para saber o melhor caminho para você!

Cuidados que o paciente deve ter depois das sessões

Após o clareamento dental a laser, alguns pacientes podem apresentar sensibilidade dentária ao gel clareador. Por isso, a fim de diminuir a sensibilidade, é importante evitar ingerir alimentos muito gelados e ácidos, como suco de limão e refrigerantes, por exemplo. Além disso, Heloísa explica: “Alimentos com excesso de pigmentos, tanto naturais como artificiais, devem ser evitados até uma semana após o último dia de clareamento. Dentre eles estão o catchup, açaí, vinho tinto, café em excesso”.

Existe algum número limite de sessões que o paciente possa fazer?

Para a odontologista, o limite de sessões é individual e varia também com o produto que o profissional está utilizando. “O que temos que controlar é o efeito clareador. Quando ele não está ficando mais branco, deve-se suspender o processo. Não se pode provocar essa reação de oxidação sem que haja corantes para serem liberados”, explica. Por essa razão, esse acompanhamento deve ser realizado por um profissional capacitado, caso contrário o clareamento pode trazer danos irreversíveis à estrutura dental.

“Já fiz o clareamento e meus dentes não estão como eu queria, o que eu faço?”

É importante entender que cada paciente atingirá um grau de clareamento. Ou seja, realmente não é possível prever se o tom do clareamento atingirá a expectativa do tratamento, principalmente em pacientes da terceira idade. Por isso, Heloísa indica: “Para esses casos podemos realizar o tratamento com facetas. As facetas são finas capas de porcelana ou de resina que "colamos" na frente do dente na cor que o paciente desejar. Assim podemos atingir tons muito brancos, como os dentes dos artistas”.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Heloísa Crisóstomo - Odontologista com aperfeiçoamento em dentística, prótese e prótese sobre implante
CRO: DF-CD-8149