Você já ouviu falar na cirurgia guiada de implante? A nova tecnologia vem revolucionando as reabilitações de pacientes que precisam realizar o procedimento, e é indicada principalmente para quem não possui dentição total. Para entender mais sobre o assunto, o Sorrisologia conversou com a cirurgiã-dentista membro da Sociedade Brasileira de Toxina Botulínica e Implantes Faciais na Odontologia (SBTI), Yara Moura Brasil, e ela contou um pouco mais sobre essa nova técnica. Confira!

Saiba como funciona essa técnica e ela colabora com a cirurgia de implante

A cirurgia guiada de implante é, inicialmente, feita de forma virtual e o resultado é enviado para a impressora 3D. “Após operar o paciente pelo computador, um guia cirúrgico será gerado, e, este guia, direcionará o profissional na colocação do implante, por meio, apenas, de um ponto de entrada na gengiva. Assim, não será necessária a realização de cortes, por exemplo”, explica Yara.

Além disso, essa tecnologia colaborou com a odontologia para a cirurgia de implante. “Por contar com grandes inovações tecnológicas em scanners intraorais, tomografias e maior desempenho de softwares de planejamento, assim como das impressoras 3D, o tempo é otimizado tanto para o profissional, visto que possibilita mais precisão e rapidez, quanto para o paciente, por ser uma técnica bem menos invasiva”, esclarece a cirurgiã-dentista.

Entenda para quais casos são indicados essa técnica e as vantagens da mesma

Segundo Yara, a indicação vai para quem tem falta de dentes, total ou parcial, podendo ser em um caso único ou múltiplo. “As vantagens da técnica de cirurgia guiada são inúmeras, como o tempo reduzido de cirurgia, melhor precisão, resultado da prótese com maior qualidade e a sensibilidade dolorosa é muito reduzida”, explica. Outro ponto positivo dessa cirurgia guiada, é o fato dela ser considerada uma técnica minimamente invasiva. “O paciente pode ser operado sem incisões, o que diminui muito o sangramento. A cirurgia é finalizada sem suturas e, até mesmo, sem descolamentos de fibromucosa”, ressalta Yara.

Com tantos benefícios, existe algum tipo de desvantagem nessa técnica?

A cirurgiã-dentista esclarece que é necessário haver um treinamento mínimo para se adequar ao funcionamento do sistema e, assim, conseguir trabalhar no campo. Isso pode ser visto como uma desvantagem. “Outro fato que pode ser encarado como desvantagem, é que uma vez que a cirurgia é planejada, ela deve ocorrer exatamente conforme o premeditado, não havendo possibilidade de mudanças durante a técnica”, explica.

Pós-operatório da cirurgia guiada é considerado mais tranquilo

Por ser uma técnica bem menos invasiva, o pós-operatório dessa cirurgia pode ser considerado bem mais confortável do que a cirurgia normal. “O pós-operatório apresenta mínimo sangramento, menos sensibilidade dolorosa e melhor cicatrização gengival, se tornando mais rápido e cômodo ao paciente”, cita Yara.

Este artigo tem a contribuição da especialista:
Yara Moura Brasil - Cirurgiã-dentista especialista em estética e harmonização
orofacial; Membro da Sociedade Brasileira de Toxina Botulínica e Implantes Faciais na Odontologia (SBTI).
Rio de Janeiro - RJ
CRO-RJ 36646